Hospital São José inicia parceria com o Hospital Alemão Oswaldo Cruz

- PUBLICIDADE -

O Hospital Municipal São José foi escolhido pelo Ministério da Saúde e pelo Hospital Alemão Oswaldo Cruz, de São Paulo, para participar de um programa de reabilitação na síndrome pós-cuidados intensivos. Além do São José, hospitais de Londrina, Lages e Maringá foram selecionados para integrar essa primeira etapa, que começa na região Sul.

Nesta terça e quarta-feira (13 e 14/9), representantes do Ministério da Saúde e do Hospital Alemão Oswaldo Cruz fazem uma visita técnica ao São José. Segundo o gerente de regulação do Hospital São José, Vinicius Barrea, a metodologia do Oswaldo Cruz será aplicada em três esferas de atendimento no hospital, envolvendo Unidade de Terapia Intensiva (UTI), Enfermaria e Equipe Multidisciplinar de Atenção Domiciliar (Emad).

“Será realizado um estudo que envolve do atendimento prestado desde a chegada do paciente na UTI, após a saída dele da UTI para Enfermaria e a conclusão do atendimento em domicílio. Acompanharemos o paciente até seis meses após a alta hospitalar. Serão avaliados todos os fluxos e rotinas existentes no hospital com o intuito de melhorias”, explica o gerente.

Para o diretor-presidente do Hospital São José, Arnoldo Boege Junior, a parceria com o Ministério da Saúde e o Hospital Alemão Oswaldo Cruz resultará em um aprimoramento para a equipe do hospital joinvilense, que já possui um alto nível técnico.

“Essa parceria vai nos dar ferramentas e subsídios para adotarmos procedimentos ainda mais eficazes na reabilitação de nossos pacientes. Esse processo já existe no hospital e agora vamos torná-lo ainda mais eficaz. O objetivo é otimizar e melhorar o processo de alta e de cuidados dos pacientes graves de UTI”, afirma Arnoldo.

O objetivo, segundo a coordenadora do projeto do Hospital Oswaldo Cruz, Simone Rodrigues Farias Cavalhares, é trabalhar o fluxo do paciente desde a UTI até a alta para a atenção domiciliar, principalmente aqueles pacientes que desenvolveram a síndrome pós cuidados intensivos que é aquele paciente que ficou muito tempo na UTI, desenvolveu alterações de funcionalidade, alterações cognitivas e que precisa de reabilitação.

“O projeto busca reduzir complicações clínicas, favorecer a alta segura e melhorar a qualidade de vida desse paciente além de levá-lo o mais rápido e de forma segura pra casa”, acrescenta a a coordenadora do projeto.

Sobre o Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Fundado em 1897, por um grupo de imigrantes de língua alemã, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz é referência em serviços de alta complexidade e atua com ênfase nas especialidades de oncologia e doenças digestivas. É uma das mais renomadas instituições de saúde do Brasil na atualidade.

Fonte: Prefeitura de Joinville