‘Minha Escola Consciente’ arrecada 52 toneladas de resíduos sólidos no primeiro mês de iniciativa

- PUBLICIDADE -

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

O processo de reciclagem do projeto ‘Minha Escola Consciente’ iniciou as arrecadações de resíduos sólidos no mês de agosto na rede municipal de Criciúma e já arrecadou 52 toneladas de materiais. A iniciativa visa conscientizar sobre o descarte correto de resíduos e sobre o processo da reciclagem para os estudantes. A atividade é uma gincana promovida pela Secretaria Municipal de Educação, Diretoria de Meio Ambiente de Criciúma (DMACRI) e pelo Fundo de Saneamento Básico (Funsab).

Segundo a coordenadora do projeto, Rúbia Acordi, a coleta seletiva nas escolas superou as expectativas. As unidades de ensino estão realizando muitas arrecadações, com os estudantes fazendo a sua parte, principalmente, por levarem os materiais limpos e secos, facilitando a separação. “A reciclagem desse material contribui de forma sustentável, não contaminando o ar, o solo e a água, sem riscos à saúde e ao meio ambiente, além de contribuir na redução da exploração de recursos naturais. O resultado final da gincana será divulgado no dia 10 de novembro deste ano. A premiação será um parque infantil em formato de avião para a escola e uma viagem ao parque temático Beto Carrero World”, ressaltou.

De acordo com o secretário de Educação, Miri Dagostim, a gincana contribui para os estudantes aprenderem de maneira divertida, além de criar um ambiente de ensino mais dinâmico, por meio da união entre professores e alunos na arrecadação de materiais. “Todas as unidades estão engajadas e a comunidade escolar, em geral, aderiu à ideia. Muitas famílias separaram e encaminharam para as escolas o material limpo e seco. As crianças já cobram dos adultos, não deixando mais os materiais que podem ser reutilizados irem para o lixo comum, separando e levando para a escola”, ponderou.

Reaproveitamento dos materiais

Conforme o presidente do Funsab, Luiz Juventino Selva, desde o início do projeto, é coletado uma média de três toneladas de materiais por dia. “Além disso, nesse primeiro mês já podemos colaborar com a população e com o meio ambiente, retirando mais de 52 toneladas de resíduos do meio ambiente, reaproveitando os materiais que seriam jogados no aterro sanitário ou jogados na rua”, explicou.

O presidente frisa, ainda, que os materiais que vêm pela coleta seletiva da cidade são aproveitados apenas 40%, devido à contaminação dos resíduos. Mas, quanto aos materiais que estão vindo das escolas estão sendo 100% reaproveitados pela Associação de Cooperativas de Catadores, porque os resíduos estão chegando limpos. “Após a coleta, o material é 100% doado para as cooperativas de reciclagem de baixa renda”, completou.

Educação de qualidade com educação ambiental

De acordo com a diretora de Meio Ambiente, Anequésselen Bitencourt Fortunato, com a proposta do projeto e com as escolas empenhadas no processo de reciclagem, esse se tornou um dos melhores momentos para o meio ambiente, principalmente, em termos de quantidade e qualidade de materiais separados.

Nós realizamos o processo de coleta seletiva há 12 anos no município, só que antes muitos rejeitos eram depositados junto aos materiais reciclados. Porém, agora com esse trabalho de educação ambiental junto com as crianças, os resíduos estão sendo separados em maior quantidade e de maneira correta”, comentou. “Então, para mim é a prova de que educação de qualidade e a ambiental é no que nós devemos mesmo continuar investindo”, enfatizou.

A diretora, ainda, destaca que a dedicação tanto dos estudantes quantos dos profissionais das escolas produzem resultados surpreendentes. “Todos estão se dedicando de forma intensa, sendo mais pessoas que ajudam a contribuir para proteger e melhorar o meio ambiente em nossa cidade. Assim, ajudando as famílias das Associações de Cooperativas de Catadores se sustentarem”, concluiu.

Fonte: Prefeitura de Criciúma