Em Criciúma, audiência discute ausência de pacientes em agendamentos médicos

- PUBLICIDADE -

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

A Secretaria de Saúde de Criciúma realizou uma audiência nesta quarta-feira (17) para tratar do absenteísmo nos agendamentos médicos. O termo, quando aplicado à área da saúde, consiste no não comparecimento do paciente a consultas, exames ou demais procedimentos agendados, sem comunicação prévia ao local de realização. A reunião ocorreu no Salão Ouro Negro do Paço Municipal Marcos Rovaris, e contou com representantes da sociedade civil e autoridades públicas.

“Faltas às consultas e procedimentos médicos contribuem para o crescimento das filas de espera, já que os pacientes que faltam sem aviso prévio impedem que o agendamento de outra pessoa seja adiantado, além de precisar retornar às filas”, explicou o secretário municipal de Saúde, Arleu da Silveira.

Durante o encontro, foram elencados alguns dos motivos das faltas alegados pelos usuários, como, por exemplo, esquecimento, agendamento em horário de trabalho e impossibilidade de deixar alguém dependente com outra pessoa. Outro problema recorrente é a falta de atualização de dados do cadastro do paciente nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) – principalmente a mudança de número do celular –, que dificulta o contato.

A pasta já possui iniciativas em andamento para minimizar o problema, como o serviço de TeleSaúde, a ampliação do horário de atendimento em seis UBSs, e o contato com pacientes para confirmação de consultas com especialistas, dentre outras.

A secretaria ainda apresentou novas sugestões, como aumentar a frequência de visitas dos agentes comunitários de saúde e elaborar uma carta que dispõe sobre direitos e deveres dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Outra sugestão é implementar um modelo diferente de agendamento nas UBSs, o chamado método de Acesso Avançado, que evita agendamentos para longos prazos e tem como objetivo tornar o atendimento mais rápido e reduzir o absenteísmo.

Absenteísmo em dados

De acordo com dados apresentados pela Secretaria, de janeiro a julho deste ano  foram registradas 15.127 faltas em agendamentos nas UBSs. No mesmo período, foram contabilizadas 11.861 faltas em consultas com especialistas e 804 faltas em agendamentos no Centro de Especialidades Odontológicas. Considerando abril e maio, a pasta registrou 4.449 faltas em exames de alta e média complexidade.

No total, levando em conta consultas e procedimentos médicos, a soma chega a 32.241 faltas. “A estimativa é que essas ausências sem aviso prévio custaram R$ 3.740.481,21 só de recursos humanos. Então além de prejudicar as pessoas que estão na fila aguardando seu atendimento, também é custoso para o município”, apontou o secretário.

Mutirão para higienizar filas de cirurgia

A Secretaria de Saúde vai realizar ainda um mutirão para higienizar as filas das cirurgias. A partir desta sexta-feira (19), uma equipe da pasta ligará para os contatos na fila de cirurgia, para verificar quais pessoas estão de fato aguardando o procedimento. O contato será feito nas sextas-feiras durante a noite e nos sábados.

“A ideia é realmente limpar, otimizar a fila. Algumas pessoas podem já ter realizado a cirurgia por plano de saúde ou particular. Portanto é extremamente importante que quem esteja na fila ou tenha um parente próximo aguardando, atenda o telefone. O objetivo não é agendar as cirurgias, mas sim confirmar quem ainda pretende realizá-las. Isso nos dará um número mais perto do real”, explicou o coordenador do setor de cirurgias da secretaria, Claudenir Leôncio. De acordo com ele, o município tem 2309 procedimentos cirúrgicos em espera.

Fonte: Prefeitura de Criciúma