Alesc sedia curso de capacitação para atendimento a pessoas estomizadas

- PUBLICIDADE -

Em Santa Catarina, quase 5 mil pessoas usam bolsa de estomia (também chamada de ostomia). Com o objetivo de aperfeiçoar o trabalho dos profissionais da saúde que atuam com esses pacientes no estado, a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa e a Secretaria de Estado da Saúde promovem, a partir desta terça-feira (16), o seminário de Capacitação na Atenção à Saúde das Pessoas com Estomias Intestinais, Urinárias e /ou Fístulas Cutâneas, em Florianópolis.

Os pacientes estomizados passam por uma cirurgia no aparelho digestivo ou urinário e precisam usar bolsa coletora acoplada ao abdome. Essa condição resulta geralmente de alguma doença ou acidente. Na prática, o paciente fica impossibilitado de usar o aparelho digestivo ou urinário de forma completa com todo o trajeto funcionando adequadamente e, para isso, precisa fazer um desvio, por onde são eliminadas as fezes e a urina. Existe também a estomia respiratória, abrindo um orifício na região da traqueia para possibilitar a respiração.

Conforme destacou a coordenadora da pessoa com deficiência da Secretaria de Estado da Saúde, Jaqueline Reginatto, o estado catarinense é o único do país que fornece insumos para estomia respiratória. “Nós fornecemos hoje 51 itens de estomia intestinal e urinária, e 11 de respiratória. O estado fornece, inclusive, insumos que não são padronizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS)”.

Alta rotatividade
Sobre a importância da capacitação, Jaqueline explica que existe uma alta rotatividade entre os profissionais que atuam diretamente com pessoas estomizadas. “Principalmente nos municípios pequenos, nós temos uma rotatividade muito grande de profissionais. E nem todos eles têm, ao longo da sua carreira, o contato com esse paciente. Então, como é um serviço muito peculiar, são insumos bem diferenciados e um paciente que exige cuidado intenso, é importante que estejamos capacitando a rede”.

Durante dois dias, os profissionais de saúde vão ser instruídos sobre temas como anatomia e fisiologia dos sistemas intestinal e urinário; as indicações e os tipos de estomias; possíveis complicações e tratamento de lesões; e o atendimento de crianças com estomas.

Além da parte teórica, os profissionais também terão a oportunidade de aprender, na prática, como manusear os insumos utilizados em pacientes com estomias urinárias, intestinais e respiratórias.

Marivana de Mattos Fernandes é especialista clínica de uma empresa que fornece os insumos para estomias respiratórias para a rede pública de saúde de Santa Catarina. Conforme explicou aos participantes do seminário, é importante que os profissionais que atuam com pacientes estomizados saibam prescrever os materiais e passar a orientação correta sobre o manuseio.

“Os insumos hoje disponíveis para pacientes com estomias respiratórias têm a função principal de ajudar na reabilitação vocal, para que ele volte a poder se comunicar com as outras pessoas, e também na reabilitação pulmonar, para que tenha uma boa respiração e uma melhor qualidade de vida”, exemplificou Marivana.

Programação
O seminário de Capacitação na Atenção à Saúde das Pessoas com Estomias Intestinais, Urinárias e /ou Fístulas Cutâneas segue com programação nesta quarta-feira (17). O evento está sendo realizado no Auditório Deputada Antonieta de Barros, da Assembleia Legislativa.

Fonte: Agência ALESC