Felipe Pupioski e Carlos Valentim Baldissarelli são homenageados

- PUBLICIDADE -

O prefeito de Chapecó, João Rodrigues, sancionou na manhã desta sexta-feira as leis que denominam de Carlos Valentim Baldissarelli, a estrada municipal 378, que será pavimentada até a comunidade do Rodeio do Erval, e de Felipe Pupioski a estrada municipal 294, que será pavimentada até a Linha Cachoeira.

Familiares dos homenageados e vereadores acompanharam o ato de assinaturas, na sala de reuniões da Prefeitura.

“São duas pessoas que contribuíram muito com Chapecó e por isso decidimos homenageá-los com o nome das estradas que estão sendo pavimentadas no Bormann e que vão trazer desenvolvimento para aquela região do município”, disse Rodrigues. São mais de R$ 16 milhões em investimentos.

A sugestão partiu do vereador Delvino Dall Rosa, que diz ter aprendido muito com ambos. O vice-presidente da Câmara de Vereadores, Nelson Krombauer, ressaltou que os dois homenageados representam muito para a cidade de Chapecó.

A filha de um dos homenageados, Carla Baldissarelli Filipak, falou em nome da família.

“Estou muito emocionada por ter o nome do meu pai eternizado. Ele sempre pensava no melhor para a cidade e se preocupava muito com a história”, disse Carla.

Julio Cezar Signori falou em nome da família Pupioski.

“É um marco para nós pois meu sogro era uma pessoa amiga, admirável. É uma justa homenagem”, destacou.

QUEM FOI FELIPE PUPIOSKI

Nascido em 02 de fevereiro no ano 1937 na cidade de Aratiba-Rs, filho de Bolislau Pupioski e Olimpía Tamanho, casado com Cladi Dall` Rosa Pupioski, residentes do município de Chapecó, onde tiveram três filhos – Sonia, Tania e Stefan, três netos, Luan, Lucas e Matheus, e uma bisneta Yasmin, formando sua família. Atuou na sua vida profissional em vários setores, dentre eles, agricultura, comércio, serviço público, bem como agente político deste município. Conhecido carinhosamente por Felipão era uma pessoa muito alegre, prestativa, integra, honesta e respeitada por todos. Nas suas horas de lazer gostava de estar com a família e reunir parentes e amigos para confraternizar. Tinha como seu hobby apreciar corridas de cavalos as chamadas “carreiras”. Felipão sempre foi uma pessoa muito atuante na sociedade, participava das agremiações esportivas e comunitárias. Ingressou na vida política em 1977, foi eleito vereador por três mandatos no município de Chapecó (1977-1983; 1993-1996 e 1997-2000). Exerceu também os cargos de Diretor Geral da Infraestrutura; Secretário da Infraestrutura, Secretário da Agricultura, Diretor de Obras e Infraestrutura. Faleceu no dia 12 de outubro do ano 2020, deixando muita saudade e exemplo de pessoa que contribuiu no crescimento da nossa cidade, com melhorias e sua representatividade do povo chapecoense.

QUEM FOI CARLOS VALENTIM BALDISSARELLI

Carlos Valentim Baldissarelli, carinhosamente conhecido como Chinho, nasceu no Distrito de Marechal Bormann, sua mãe foi a primeira professora do local e seu pai era sapateiro, confeccionava selas para cavalos, pois era o único meio de transporte da época. A família permaneceu no Bormann até seus 17 anos, vindo residir na cidade de Chapecó em 1953. Seu primeiro emprego foi na Chapecó Indústria e Comércio S.A., sendo encarregado de almoxarifado, nesse cargo era responsável por receber os novos funcionários, orientar e entregar os uniformes e equipamentos necessários para que desempenhassem a função. Era conhecido também por ser “doutorzinho”, pois na época não tinha médico na empresa e quando alguém se machucava ele acabava realizando os primeiros socorros antes de serem encaminhados ao hospital. Mais tarde, a Dra Leoni Novello foi contratada como médica onde realizava então os procedimentos necessários, mas sempre que possível, Chinho prestava auxílio. Permaneceu na empresa por aproximadamente 40 anos, durante esse período saiu uma única vez para montar uma fábrica de papéis, que acabou não tendo sucesso e retornando ao Frigorífico Chapecó anos mais tarde, em seguida assumiu o cargo de gerente de Recursos Humanos. Nessa função foi responsável pela contratação de inúmeras pessoas Em algumas situações ele conversava, aconselhava e as orientava inclusive sobre aspectos pessoais que estivessem influenciando no desempenho do trabalho a ser exercido naquele momento. Atitudes essas que continuam sendo reconhecidas pelas pessoas ajudadas, era uma espécie de psicólogo na época. Em 1970, durante a preparação do stand do Frigorífico Chapecó estava pendurando uma mortadela de dois metros de altura em frente ao stand da Joalheria Cansian aonde conheceu sua esposa Lourdes Luiza Cansian, Dessa união nasceram Carla Cansian Baldissarelli e Demétrius Cansian Baldissarelli. Carla é psicóloga, casada com Ricardo Marcelus Araujo Filipak, possuem dois filhos Vitor Henrique Baldissarelli e Bruno Henrique Baldissarelli Filipak. Demétrius é Médico Veterinário, concursado em Formosa do Sul SC. No decorrer de sua vida, Chinho participou ativamente da cidade de forma solidária, ajudando sempre que possível em diferentes situações. Costumava dizer que só não tinha realizado parto, mas que gostaria. Colaborava com o Hospital Santo Antônio em situações de emergências como empréstimos de cilindros de oxigênio e pessoas para doarem sangue. Era chamado com frequência como testemunha fundamental em algumas situações onde funcionários eram presos, pois conhecia pessoalmente cada funcionário, colaborando assim com os delegados na época. Foi membro fundador da Câmara Júnior JCC Chapecó, que teve fundamental importância na sua vida profissional e pessoal, levando fielmente para sua vida “SERVIR A HUMANIDADE É A MELHOR OBRA DE UMA VIDA, lema da JCCI”. Nela desenvolveu a habilidade da oratória e visão política, onde formou mais um grupo de amigos, tornando-se membro Sênior dessa entidade. Chinho tornou-se vereador pela primeira vez em 1982. Tinha como característica muito forte o diálogo entre os integrantes do legislativo e executivo, independente de convicção partidária, sempre pensando e agindo em prol da cidade, o que rendeu admiração e respeito por todos os integrantes do parlamento e dos políticos. Chinho tinha espírito alegre, bom humor e histórias do Bormann que lhe renderam título de caboclo do Bormann, histórias essas sempre contadas com pitadas de humor. Contava-as nomeando pessoas e lugares, tinha uma memória invejável. Como sempre gostou de história e da cidade de Chapecó, colecionava diversos objetos que contam a história da cidade. Sendo ele mesmo uma parte desta história da cidade de Chapecó.

Fonte: Prefeitura de Chapecó SC