Joinville registra acumulado de chuva acima de 220 milímetros e Prefeitura atende população emergencialmente

- PUBLICIDADE -

A Defesa Civil de Joinville, Agentes de Trânsito e Guarda Municipal registraram durante esta quarta-feira (10/8) cerca de 135 chamados relacionados a ocorrências causadas pela chuva e vendaval.

Nas últimas 48h, as estações meteorológicas registraram 224 milímetros de chuva na região de Pirabeiraba, 160 milímetros na região central da cidade e 189 milímetros no Vila Nova.

Ninguém ficou ferido, entretanto, os moradores relataram situações de deslizamentos de terra, quedas de muro, destelhamentos e alagamentos. Os bairros mais afetados foram Jardim Paraíso, Jardim Sofia, Vila Nova, Morro do Meio, Costa e Silva, Nova Brasília e o Distrito de Pirabeiraba. Os Bombeiros Voluntários, Exército e voluntários também atuaram nos resgastes.

Durante o dia, os trabalhos se concentraram em auxiliar a população que precisou de ajuda, orientações no trânsito e planejamento de manutenções que serão realizadas após a melhora do tempo, além de ações emergenciais como abertura de abrigos. Nos quatro abrigos abertos até o momento, cerca de 100 pessoas foram acolhidas.

O governador Carlos Moisés da Silva também ligou para oferecer ajuda e colocou a estrutura do Estado para auxiliar nas demandas da cidade. Na parte da tarde, o prefeito Adriano Silva sobrevoou Joinville no helicóptero da 2° Companhia de Aviação para avaliar as situações nos bairros. As regiões mais afetadas são as que sofrem com a influência dos rios Cubatão, Águas Vermelhas, Cachoeira e afluentes.

Nível dos rios

Na região central, como a chuva deu uma trégua justamente no horário em que estava previsto o pico de maré, o nível do rio não subiu conforme era esperado. A Defesa Civil explica como inicia o processo para baixar o nível dos rios.

“O rio Águas Vermelhas deságua no rio Itapocu e quando há grandes acumulados de chuva, como registramos, a vazão da água diminui, tornando o escoamento mais lento e demorando mais para a água baixar”, explica o gerente da Defesa Civil de Joinville, Maiko Richter.

Já o rio Cubatão deve começar a baixar algumas horas depois que a chuva der uma trégua. O ciclone extratropical que causou a instabilidade no tempo se afastou da costa e por isso a tendência é de melhora na condição climática.

Transporte Coletivo

O transporte coletivo de Joinville voltou a operar conforme a água foi baixando. Os terminais estão todos abertos, mas pode ocorrer que alguma rua ainda esteja interditada, o que faz com que os ônibus precisem fazer desvios. Há, no início da noite desta quarta-feira, restrições de acesso no bairro Jardim Sofia e isso afeta os roteiros das linhas Paraíso, Estrada da Ilha e Jardim Sofia.

Fonte: Prefeitura de Joinville