Compirc: Conselho Municipal se reuniu com executivo do Criciúma na última quinta-feira

- PUBLICIDADE -

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Reconhecer que o racismo é um problema social é um dever institucional. Na luta para combater atos racistas nas instituições, o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Criciúma (Compirc), recebeu na última quinta-feira (4), na sala de reunião dos conselhos municipais, localizada no Paço Municipal Marcos Rovaris, a Diretoria Executiva do Criciúma E.C.

“O conselho está atento a todas as ações de racismo que acontecem em nossa cidade. Portanto, qualquer assunto pontual que tenha ocorrido em supermercados, empresas, lojas, entre outros, nós trazemos os fatos para o conselho e este por sua vez, toma as decisões cabíveis”, esclareceu o presidente do Compirc, Remerson Luiz Vicencia.

De acordo com o presidente do Compirc, o convite feito ao executivo do Criciúma E.C se deu por razão da representatividade do clube para a cidade. “Entendemos que o Criciúma tem hoje um poder de visibilidade a nível nacional. Por essa razão, queremos firmar uma parceria com o clube, aproveitando essa mídia nacional que o esporte tem para aprofundar ações de conscientização, não só nos jogadores e torcedores, mas na cidade de Criciúma como um todo”, concluiu Remerson.

Durante a reunião, algumas sugestões e estratégias foram debatidas em parceria com o executivo do Criciúma. O clube se comprometeu a contribuir dentro de suas competências legais com as ações educativas sugeridas pelo conselho. Segundo o Gerente Administrativo e Financeiro do Criciúma Esporte Clube, Paulo César Bitencourt, o clube não tem casos reincidentes de atos racistas. Mas considera importante que outras ações preventivas, além das que o clube já dispõe, sejam tomadas para que casos pontuais não venham a ocorrer. “Internamente fizemos uma reunião geral chamada pelo presidente da casa com todos os diretores e profissionais, chamando a atenção para o tema em questão. É importante que principalmente na parte social, estejamos atentos para falas pejorativas de cunho racial. Isso tudo não só para proteger o clube, mas também para combater tudo isso, já que também temos atletas e gestores negros”, ressaltou o gerente administrativo.

Sobre o conselho

O Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial de Criciúma é um órgão colegiado e permanente, cuja principal função é aproximar a Administração Municipal da sociedade civil, assegurando, através da promoção de políticas públicas a igualdade racial, zelando e garantindo direitos a diversidade cultural, manutenção da memória e tradição do povo africano e afro-brasileiros, ciganas, quilombolas e outras populações em situação de vulnerabilidades construtivas, formadores da história criciumense.

O que diz o Código Disciplinar Brasileiro

O código disciplinar brasileiro da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), prevê que clubes e federações possam ser punidos por atos discriminatórios cometidos por torcedores. A punição para o clube pode variar desde uma multa de R$ 100 mil, perda de pontos no campeonato e até mesmo exclusão do campeonato vigente. Para ampliar sua participação, o clube conta ainda com o apoio das torcidas organizadas que auxiliam através de denúncias caso percebam um ato racista no estádio.

Importante: O racismo é crime no Brasil, previsto na Lei 7.716/1989. Além disso, desde 2021 o crime de injúria racial pode ser equiparado ao de racismo e ser considerado imprescritível, ou seja, passível de punição a qualquer tempo.

Fonte: Prefeitura de Criciúma