Município de Itajaí registra morte de morador em decorrência da dengue


A Secretaria de Saúde de Itajaí, através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, confirmou uma morte em decorrência de contaminação por dengue na cidade. A vítima, um homem de 83 anos, possuía comorbidades e faleceu devido às complicações da doença. A confirmação ocorreu após investigação do Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN/SC) e da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE). Ao todo, 211 casos de dengue foram confirmados em Itajaí neste ano.

Acesse aqui o Boletim Epidemiológico 05/2022 completo 

Em 2022, foram identificados 691 focos do mosquito Aedes aegypti em 17 localidades de Itajaí. Em comparação com o mesmo período em 2021, o Município registrou redução de 22%. O bairro Cordeiros teve o maior número, com 183 focos encontrados.

Além disso, foram notificados 1.713 casos suspeitos de dengue em Itajaí. No entanto, 211 foram confirmados, 951 descartados, 449 seguem sob investigação e 102 são residentes de outras cidades. O número representa redução de 40% nos casos confirmados em relação ao período de janeiro a junho de 2021.

Dos casos confirmados, 100 são autóctones (transmissão dentro do município), 17 são importados (transmissão fora do município), 10 são indeterminados (não foi possível definir o local provável de infecção) e 84 estão sob investigação. O bairro São João é o local com mais infecções, totalizando 20.

O boletim epidemiológico informou ainda que no período de janeiro a junho de 2022 o Município não teve registro de casos positivos de chikungunya e zika vírus.

Município reforça prevenção

O Programa de Controle da Dengue de Itajaí segue com atividades de prevenção nos bairros São Judas, Cordeiros, Barra do Rio e São João. Os agentes eliminam criadouros do mosquito e orientam os moradores sobre os cuidados necessários.

“As últimas chuvas têm colaborado para a proliferação do Aedes aegypti, por isso precisamos que a população colabore. As pessoas têm que entender que a eliminação de locais com água parada deve ser feita continuamente. Mesmo com a chegada do inverno a proliferação do mosquito continua, pois ele está se adaptando. Precisamos da ajuda de todos, a dengue é uma doença séria e pode levar a morte, como ocorreu neste ano”, reforça o gerente de Controle de Zoonoses, Lúcio Vieira.

Confira algumas orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

• Evitar usar pratos nos vasos de plantas. Se utilizar, colocar areia até a borda;
• Guardar garrafas com o gargalo virado para baixo;
• Deixar lixeiras tampadas;
• Deixar os depósitos para guardar água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
• Tratar a água da piscina com cloro e limpe-la uma vez por semana;
• Manter ralos fechados e desentupidos;
• Lavar com escova os potes de comida e de água dos animais no mínimo uma vez por semana;
• Retirar a água acumulada em lajes;
• Dar descarga no mínimo uma vez por semana em banheiros pouco usados;
• Manter fechada a tampa do vaso sanitário;
• Evitar o acúmulo de entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue.

Denuncie a existência de possíveis criadouros de Aedes aegypti para a Secretaria Municipal de Saúde pelo telefone (47) 3249-5573. 

Comente com o Facebook