Encontro de professores do Arte nos Bairros pauta questões de inclusão e acessibilidade


Na manhã desta terça-feira (07), professores do programa Arte nos Bairros participaram do encontro intitulado “Vamos falar sobre deficiências, singularidades e desafios do autismo?”. O diálogo foi conduzido por convidados, representantes do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência de Itajaí (Comadefi), Uninclui/Univali e Associação de Pais e Amigos do Autista (AMA) de Itajaí.

O evento surgiu a partir de demandas e contextos relatados pelos professores do projeto. A assistente social Bianca Reimão, do Uninclui da Univali e conselheira do Comadefi, apresentou aos professores informações sobre conceitos, terminologias, questões históricas, legais e questões práticas que impactam diretamente no cotidiano das pessoas com deficiência, no intuito de acolher e incluir todos, a partir das mais diversas realidades e contextos.

Já a presidente da AMA Itajaí, Alexandra Rodrigues, e o associado Roger, que é autista, falaram sobre o transtorno do espectro autista (TEA). A palestra deles foi conduzida a partir de questionamentos, dúvidas e curiosidades dos próprios professores.

“Foi uma manhã de muita troca de experiências, principalmente com quem tem propriedade de causa e assunto, momento de conscientização e de reformular conceitos”, ressalta o diretor executivo da Fundação Cultural de Itajaí, Vanderlei Lazzarotti

Sobre o Arte nos Bairros

Reativado em 2017, o programa da Fundação Cultural de Itajaí já atendeu mais de 10 mil alunos. O projeto tem como objetivo levar arte e cultura às comunidades. Em 2021, o projeto ofertou mais de 40 oficinas nas linguagens artísticas e contemplou quase três mil alunos, de todas as idades – da primeira infância à melhor idade. Neste ano, o projeto conta com 85 professores que ministram aulas em 87 polos distribuídos por 27 bairros da cidade.

Comente com o Facebook