Deputados destacam bolsas do ensino médio e investimentos do Executivo


O efeito positivo nas escolas das bolsas para alunos do ensino médio e a distribuição de recursos estaduais para os municípios ganharam destaque na sessão de terça-feira (7) da Assembleia Legislativa.

“Como foi importante a lei que aprovamos no ano passado da bolsa do ensino médio. Quando protocolamos, em agosto de 2021, demorou seis meses para o governo mandar para cá um projeto com o mesmo conteúdo. Hoje 57 mil jovens estão recebendo meio salário mínimo”, revelou Luciane Carminatti (PT).

A parlamentar visitou uma escola localizada em município com indicadores sociais baixos e constatou que ali 143 alunos recebem a bolsa.

“Dá para ter ideia do que é isso? ‘Se não fosse isso – disseram os estudantes – a gente estaria trabalhando para o sustento da nossa família’”, revelou Carminatti, que lamentou a perseguição ideológica de que são vítimas muitos professores, assim como elogiou os investimentos em novas salas de aulas e quadras de esportes.

Já o deputado Valdir Cobalchini (MDB) fez um resumo das visitas do governador Carlos Moisés a municípios do Meio Oeste, Oeste e Extremo Oeste. 

Em Curitibanos, segundo Cobalchini, foram destinados R$ 20 mi para a construção do centro de eventos educacional e poliesportivo e de uma unidade sanitária central; Maravilha recebeu recursos para o aprofundamento do canal do rio Iracema, além da pavimentação das estradas que ligam Maravilha a Bom Jesus do Oeste e Romelândia a São Miguel da Boa Vista.

Em Dionísio Cerqueira foram destinados  recursos para o porto seco; em Xaxim, dinheiro para a pavimentação rural e para a captação e distribuição de água; e em Seara ocorreu a inauguração do contorno que leva no nome da cidade.

“Quero reconhecer a ação do governo do estado, que não discrimina, que atende todos os municípios. Tenho experiência de muitos anos no serviço público, mas nunca experimentei a situação que vivemos hoje, em que o estado faz os investimentos sem nenhum centavo de financiamento. Antes deste governo o que a gente tinha era BID-1, BID-2, BID-3, BID-4, e se não fossem os financiamentos, não tínhamos obras”, insistiu Cobalchini, que calculou em R$ 600 mi o total de investimentos com recursos próprios anunciados.

Por outro lado, Sargento Lima (PL) criticou o governador Carlos Moisés.

“O governador Moisés está lançando moda, inovando, é a terceirização das responsabilidades. O sujeito paga impostos e é convidado a lavar o muro da escola, a pagar o calçamento na frente de casa. Cadê a presença do Executivo? O quê o ente público está fazendo?”, cobrou Lima, acrescentando que o governador dos catarinenses “não sabe para onde voa e nem com quem voa”.

O representante de Joinville comparou a situação a um morador que comprou uma casa em um condomínio caro, cujo síndico faz uma proposta de ação solidária ao moradores para limpar o jardim do condomínio, assim como cuidar da manutenção do prédio, bem como pagar a comida e a conta de água e luz para o vizinho que foi demitido do emprego.

“Você paga o maior imposto da federação e daí fica o governador lá do palácio coordenando ações”, ironizou Lima.

Apreensão espantosa
Ismael dos Santos (PSD) parabenizou a Polícia Rodoviária Federal (PRF) pela apreensão de mais de meia tonelada de cocaína na BR-101, em Joinville.

“Cerca de 592 kg da droga estava em um fundo falso de um reboque que transportava material reciclado e era conduzido por um motorista paraguaio. Foi a maior apreensão da história da instituição, acredita-se que o destino seria um porto para seguir para a Europa”.

Kennedy Nunes (PTB) também elogiou a PRF.

“Apreenderam mais de meia tonelada de cocaína pura, dando prejuízo para a rede de tráfico de drogas. Essa droga toda não está aí se não tiver quem compre, se não tivesse alguém que comprasse, não teria oferta da droga. Quem usa droga está financiando tudo isso, tu bacana, está financiando tudo isso”, acusou Kennedy.

39 anos de sindicato
Padre Pedro Baldissera (PT) comemorou na tribuna a passagem de 39 anos de fundação do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Plásticas, Químicas e Farmacêuticas do Sul do estado.

“Um sindicato estratégico e importante, atende a região Sul e outras regiões do estado e tem cerca de 11 mil trabalhadores. A organização da categoria começou antes de 1982, lá pelos anos 1960 e 1970, quando começaram as organizações sindicais. São 39 anos de muitas lutas e organização de uma categoria aguerrida, forte, decidida e que a gente poderia dizer também, de muita teimosia, porque nada se constrói sem movimento e resistência”, afirmou Baldissera.

Teste do pezinho
Doutor Vicente Caropreso (PSDB) lembrou que no dia 6 de junho comemorou-se o Dia Nacional do Teste do Pezinho.

“São  46 anos de existência, algumas gotas tiradas do calcanhar do bebê podem salvar vidas. O teste se popularizou em 2001, hoje é obrigatório e anualmente são feitos mais de 2,4 milhões de testes. O objetivo é a prevenção, identificar distúrbios em tempo hábil, reduzindo a mortalidade e melhorando a qualidade de vida da população”, explicou Caropreso.

O deputado ressaltou a sanção de lei de sua autoria que obriga os laboratórios públicos e privados a notificarem as autoridades acerca dos testes de pezinho que apresentaram alteração, inclusive com busca ativa dos bebês.

Vacinação estagnada
Vicente Caropreso lamentou que a vacinação contra influenza, no grupo de crianças de seis meses a 12 anos, atingiu apenas 20% da meta no estado. Quanto à vacina de reforço contra a Covid, somente 50% dos catarinenses de 18 a 50 anos foram vacinados.

“É o impacto da desinformação que corre solta nas redes sociais do movimento antivacinas, gerando dúvidas na população, as consequências estão aí, hospitais lotados”, indicou Caropreso, que convidou os colegas para acompanharem audiência pública dia 15 para tratar do incremento da vacinação.

Parque Nacional da Serra do Itajaí
Osmar Vicentini (União) voltou a defender a mudança do status do Parque Nacional da Serra do Itajaí.

“O decreto nos tirou o direito e todos os proprietários enfrentam sérias dificuldades. Defendemos transformar a área em área de manejo, adaptando-a à realidade que estamos vivendo. A sociedade que lá vive não consegue viver com esse decreto, tranca tudo”, garantiu Vicentini.

Três assuntos importantes
Volnei Weber (MDB) celebrou a entrega da ordem de serviço para a reforma geral e ampliação da EEB São Ludgero, localizada na cidade homônima.

“Ontem o governo assinou a ordem de serviço de R$ 5 mi. Depois de mais de 10 anos de luta vimos uma obra tão sonhada sair do papel”, revelou Weber, que também ressaltou sessão solene da Casa realizada ontem no município, a pretexto dos 60 anos de emancipação política de São Ludgero.

O deputado ainda convidou os catarinenses para assistirem o 16º Rodeio Crioulo, que acontecerá de 9 a 12 de junho, em São Ludgero.

Falta de transporte aeromédico
Bruno Souza (Novo) denunciou que o Arcanjo 6, avião ambulância do Corpo de Bombeiros, está em Brasília, pois transportou o governador para a capital para cumprir compromissos políticos.

“Se alguém precisar de transporte aeromédico, talvez tenha de esperar. A situação é dramática, se alguém estiver em Joinville e tiver vaga em Chapecó, esse paciente precisará de transporte aeromédico. Se mais outros pacientes precisarem de transportes, talvez tenham de esperar, estamos apenas com o Arcanjo 2 disponível. Aonde está o Arcanjo 6, que tem cabine pressurizada? Está com Moisés, em Brasília”.

Comente com o Facebook