Médicos do Hospital São José participam de Atlas de Variação em Saúde do Brasil


Dois médicos da Prefeitura de Joinville participaram do primeiro atlas latino-americano produzido pela rede The Wennberg International Collaborative (WIC). Os doutores Henrique Diegoli e Pedro Magalhães, que trabalham na na Unidade de AVC do Hospital Municipal São José, estão entre os autores da publicação Atlas de Variação em Saúde do Brasil. Lançada recentemente, a obra analisa as diferenças existentes na prestação do atendimento na rede de saúde pública entre as regiões do Brasil.

O Atlas realiza 30 comparações de diversas áreas da saúde entre as 27 unidades da federação, ressaltando as diferenças de acesso a tratamentos de saúde. Também aponta possíveis soluções para esses problemas.

“O Atlas é uma iniciativa da Academia VBHC. Somos um grupo de profissionais da área da saúde com objetivo de transformar os cuidados em saúde no Brasil. O Atlas é uma ferramenta de gestão para identificar as variações em saúde nas 450 Regiões em Saúde no Brasil, permitindo assim a redução das desigualdades existentes no SUS”, explica o doutor Henrique Diegoli.

Além de Henrique Diegoli e Pedro Magalhães, o Atlas teve colaboração de autoridades internacionais da medicina, como os professores Sir Muir Gray e David Goodman. O download da publicação pode ser feito pelo site www.academiavbhc.org/atlas.

A publicação foi lançada na Suíça, em abril, durante um evento que contou com a presença dos dois médicos do Hospital São José.

“Lá discutimos o material com as maiores autoridades internacionais no assunto, que mostraram espanto com as variações encontradas no Brasil”, afirma Henrique.

O estudo não é relacionado a Joinville, mas Henrique aponta um dos diferenciais da saúde pública na cidade.

“Um ponto muito positivo do município é no tratamento do AVC, do qual foi vencedor do VBHC Prize 2021. O prêmio reconheceu o Joinvasc, projeto populacional para transformar os cuidados ao AVC de 25 anos em Joinville, como maior iniciativa de valor em saúde internacionalmente”, aponta o médico.

Comente com o Facebook