PL prevê inclusão de mídias sociais em cartazes sobre exploração sexual


A Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente aprovou, na tarde desta quarta-feira (18), por unanimidade, o parecer favorável do deputado Sergio Motta (Republicanos) ao PL 107/2021, de autoria do deputado Jair Miotto (União), que determina a afixação de cartazes com mensagem sobre exploração sexual e tráfico de crianças e adolescentes, incluindo a divulgação do aplicativo Proteja Brasil. Matéria segue para apreciação na Comissão de Turismo e Meio Ambiente.

Jair Miotto explicou que sua proposta atualiza a Lei 14.3655, de 2008, que determina a afixação dos cartazes em estabelecimentos comerciais, clubes, hotéis, entre outros, adequando a realidade do século 21, incluindo a divulgação das mídias digitais, sites, que podem ajudar nestas denúncias.

“Infelizmente ainda é um problema recorrente no Brasil essa questão da exploração sexual e tráfico de crianças e adolescentes, então nos cartazes vai constar as mídias digitais onde podem ser feitas as denúncias. Creio que é um avanço para proteger as nossas crianças.”

Requerimentos
O colegiado aprovou dois requerimentos da deputada Marlene Fengler (PSD). O primeiro solicita a aprovação da parceria da Comissão para em conjunto com a Fecam, Ministério Público, Tribunal de Justiça e Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA/SC) para  realizar capacitação de municípios nos serviços de acolhimento institucional familiar, em data e local a serem definidos.

O segundo requerimento aprovado determina a realização de seis seminários macrorregionais, em datas e locais ainda a serem confirmados, sobre dependência tecnológica, promovidos pela Escola do Legislativo Deputado Lício Mauro da Silveira.

Comente com o Facebook