Deputados destacam pesquisa da UFSC e Dia de Combate à Homofobia


Representantes do PSDB e do Podemos destacaram na sessão de terça-feira (17) da Assembleia Legislativa pesquisa desenvolvida na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) sobre marcadores de doenças neurológicas e psiquiátricas, bem como a passagem do Dia de Combate à Homofobia.

“Pesquisa da UFSC, coordenada pelo doutor Roger Walz, nascido em Jaraguá do Sul, coordenador do Departamento de Clínica Médica, sobre potenciais marcadores de diagnóstico de doenças neurológicas e psiquiátricas foi publicada em revista científica internacional, do grupo Nature.  Uma abordagem inovadora sobre os mecanismos do medo e da ansiedade”, revelou Doutor Vicente Caropreso (PSDB).

Segundo Caropreso, a pesquisa analisou amostras de tecidos cerebrais de pacientes com epilepsia submetidos a procedimentos cirúrgicos e investigou a associação de marcadores neuroquímicos para entender manifestações psiquiátricas, como ansiedade, medo e estresse pós-traumático.

“O Professor Roger é pesquisador 1A”, revelou Caropreso, aludindo à mais alta classificação de pesquisadores no país. O deputado parabenizou a equipe de pesquisadores, a UFSC, as pessoas que valorizam a ciência e reconheceu a importância do “investimento assertivo em pesquisa”.

“Bom ouvir essas boas notícias, Caropreso”, declarou Osmar Vicentini (UB).

Já a deputada Paulinha (Podemos) lembrou a passagem do Dia Internacional de Combate à Homofobia, popularmente chamado de dia de combate à LGBTQIfobia.

“O 17 de maio, Dia Internacional de Combate à Homofobia, é uma data emblemática, foi escolhida pela própria comunidade para lembrar o dia em que a Organização Mundial de Saúde (OMS), em 1990, retirou a homossexualidade da lista de Classificação Internacional de Doenças (CID)”, afirmou Paulinha.

A parlamentar defendeu que a dignidade das pessoas pressupõe a igualdade moral entre os atores sociais.

“O estigma que se promove é algo inadmissível para os tempos de hoje. A proteção dos direitos é confundida como uma visão de mundo ideológica ou de espectro político, é isso que temos de romper, está sustentado nos fundamentos da Constituição Federativa do Brasil. É um compromisso de cada um de nós lutar pela equidade”, pregou Paulinha.

Centro de Eventos de Balneário Camboriú
Paulinha convidou os colegas para evento-teste do Centro de Eventos de Balneário Camboriú, recém concedido à iniciativa privada.

“A primeira concessão pública estruturada, um equipamento capaz de absorver eventos de porte internacional, com qualidade e conteúdo, um dos melhores equipamentos do Brasil”, apontou.

Maurício Eskudlark (PL) concordou com a colega e revelou que representará a Casa do Povo no evento de logo à noite.

“Será o primeiro evento, todos os equipamentos disponíveis estarão funcionando. É um evento da empresa que ganhou a concessão para mostrar a quem quer utilizar o potencial do centro de ventos”, relatou Eskudlark.

Aumento do leite
Sargento Lima (PL) ironizou os parlamentares que classificaram de fake news os alertas que fez sobre o aumento do preço do leite causado pela aprovação da proposta de ajustes do ICMS enviada pelo Executivo.

“Com o novo projeto ia reduzir, mas não foi feito”, apontou Lima, que leu carta do Sindicato dos Produtores de Leite reclamando das alterações e informando a população que a indústria agora é obrigada a recolher 2,5% dos créditos devidos ao governo.

“Os detentores da verdade estão dentro da Secretaria da Fazenda e os deputados que votaram a favor”, brincou Lima.

Programa Jovem Aprendiz
Padre Pedro Baldissera (PT) criticou alterações nas normas do programa Jovem Aprendiz, criado nos anos 2000 na época do governo de Fernando Henrique Cardoso.

“As novas normas contemplam os maus empregadores, flexibilizando e inviabilizando a própria fiscalização. A Medida Provisória sugere aos empregadores a adesão ao programa em troca da isenção das penalidades e multas por não cumprirem as normas de menores aprendizes. E possibilita a contagem de aprendizes em situação de vulnerabilidade em dobro, se tirando a oportunidade de contratações”, alertou Padre Pedro.

De acordo com o ex-prefeito de Guaraciaba, as novas normas diminuirão em 432 mil vagas para jovens aprendizes.

“Praticamente a metade do programa, é preciso garantir a continuidade do programa e da política de aprendizagem”, defendeu o deputado, que dirigiu Moção  à bancada federal catarinense avisando do prejuízo para os jovens.

Duas moções
Osmar Vicentini (UB) anunciou o protocolo de duas moções de aplauso: a primeira para a Congregação da Imaculada Conceição de Nova Trento; e a segunda ao policial militar Cleiderson de Souza, que salvou uma criança recém nascida que estava engasgada.

Presença em Agrolândia
Maurício Eskudlark contou na tribuna que participou de dois eventos em Agrolândia, no Alto Vale do Itajaí, sendo que o primeiro foi um campeonato de tiro ao prato e o segundo uma festa na Capela Santa Catarina.

“Ganhei dois prêmios na festa: um na roleta e outro na rifa. Um, um edredom, falei para igreja local ver uma família carente e doar. É a nossa vida de político que todos gostam de fazer, estar presente na comunidade, é o nosso jeito de fazer política, conversar com as pessoas”, revelou Eskudlark, que confessou ter dividido R$ 9 mi de emendas impositivas entre 130 municípios.

Objetivos da ONU
Fabiano da Luz (PT) pediu apoio para projeto de renda básica e de renda básica emergencial que atualmente tramita na Casa.

“A renda mínima garante dignidade e a renda básica emergencial garante suporte financeiro para famílias em vulnerabilidade, apesar de que o estado já tem o programa SC Mais Renda”, admitiu Fabiano, que lamentou a queda da renda domiciliar per capita de mais de R$ 2 mil em 2019 para R$ 1.718,00 em 2021.

Um ano sem Casildo
Valdir Cobalchini (MDB) registrou a passagem de um ano da morte do ex-governador Casildo Maldaner.

“Um ano atrás Santa Catarina perdeu um ilustre catarinense por adoção, cidadão honorário, gaúcho de Carazinho, mas que aportou cedo em Santa Catarina, residindo com seus pais em Chapecó e depois indo para o interior de Modelo”, declarou Cobalchini.

Casildo foi governador, senador, deputado federal e estadual, somando mais de 50 anos de vida pública.

“Deixou um legado para seu partido, mas também deixou um legado para Santa Catarina, para o Oeste, imagino lá no início dos anos 1970, quando saiu do interior andando a cavalo e chega à Assembleia, sendo reconduzido com votações expressivas, falando a língua do agricultor. Era um homem muito extrovertido, uma figura até folclórica, engraçado e que divertia a todos os que o rodeavam, era um palanqueiro de mão cheia”, rememorou o representante de Caçador.

Programa habitacional
Cobalchini elogiou o Executivo pelo lançamento de programa habitacional que beneficiará 41 municípios com os menores índices de desenvolvimento humano (IDH).

“Dos 40, 39 se situam na região Serrana ou no Oeste, por coincidência as regiões mais frias”, lamentou.

Inovação política
Bruno Souza (Novo) afirmou que o governador Carlos Moisés inovou ao inaugurar pedra fundamental de obra sequer iniciada.

“Ele fez algo inusitado, participou da solenidade para inaugurar a pedra fundamental da rodovia que liga São Pedro de Alcântara a Angelina. Pedra fundamental em assinatura de ordem de serviço”, insistiu Bruno, que garantiu que não há trabalhadores nem máquinas na rodovia.

Deputado preocupado
Kennedy Nunes (PTB) demonstrou preocupação com movimentos que acontecem em Brasília, principalmente acerca dos ministros das cortes superiores.

“Existe uma forte tensão com as manifestações de magistrados, o Alexandre de Moraes disse em evento de magistrados que as redes sociais deram voz aos imbecis. Eu digo que a rede social deu voz e abriu a transparência à imbecilidade de ministros da Suprema Corte. Foi a rede que permitiu saber que no cardápio da Suprema Corte tem caviar, que tem um funcionário para arrumar a toga do ministro quando esta vai à sessão”, detonou Kennedy, que acusou ministros de não honrarem a toga que vestem.

O deputado ponderou que palestras de ministros geralmente são pagas e lembrou que na época em que presidiu a Unale, a entidade pagou R$ 100 mil por uma palestra do então ministro Joaquim Barbosa.

Pente-fino nos caminhoneiros
Kennedy denunciou que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) está fazendo um pente-fino nos caminhões por conta do descontentamento da classe com a política de salários do presidente Jair Bolsonaro.

83 anos da Chapam Motopeças
Volnei Weber (MDB) celebrou na tribuna os 83 anos de fundação da Chapam Autopeças, de Urussanga.

“Temos de comemorar e evidenciar os 83 anos, é um marco e uma história de sucesso, empenho, dificuldade e desafios. Estou falando da empresa Chapam Motopeças, que fica no município de Urussanga e que no último dia primeiro de maio comemorou 83 anos de fundação, sempre contribuindo para o desenvolvimento de Urussanga e região”, registrou Weber, que parabenizou a família Meneghel pelo esforço.

Comente com o Facebook