CRAS têm programação voltada ao combate do abuso sexual de crianças e adolescentes


Em 18 de maio, ocorre o Dia Nacional do Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Os Centros de Referência da Assistência Social (CRAS) da Prefeitura de Joinville contam com uma programação dedicada ao tema.

A equipe do CRAS Parque Guarani realizará, dia 18/5, na Fundação Padre Luiz Fachini (rua Solidariedade, bairro Itinga), uma roda de conversa com atividades lúdicas. Às 9h e às 14h é para as crianças e às 10h e às 15h para adolescentes.

Os servidores do CRAS Paranaguamirim, dia 18/5, às 11h, darão uma palestra para as crianças da Escola Municipal Professora Ada Sant’Anna da Silveira (rua Monsenhor Gercino, 6674, bairro Paranaguamirim). E dia 23/5, às 14h, na sede do CRAS (rua João Luiz de Miranda Coutinho, 845), ocorre uma atividade com dinâmicas de grupo e brincadeiras.

O CRAS Comasa (rua Maracujá, 620), dia 18/5, fará uma roda de conversa com usuários atendidos no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV), das 9h às 14h. Também será distribuído um jogo educativo paras as famílias atendidas no CRAS.

Dia 19, às 9h, no CRAS Jardim Paraíso (rua Crater, s/n), ocorre atividade em grupo com as famílias dos usuários atendidos no SCFV. No Aventureiro, dia 20/5, os alunos da Escola Municipal Professora Isabel Silveira Machado (rua Dorothovio do Nascimento, 4723, bairro Vila Cubatão) terão contação de história e música. Às 8h15 é para o segundo ano e às 15h30 é para o terceiro ano.

E no Adhemar Garcia, dia 23, às 13h30, ocorrerá uma palestra na Escola Municipal Prefeito Luiz Gomes (rua Domingos Abílio Miranda, s/n, Adhemar Garcia).

Secretaria de Assistência Social realiza trabalho contínuo

Para a secretária de Assistência Social (SAS), Fabiana Cardozo, todos somos responsáveis e a omissão pode custar a vida de uma criança ou adolescente.

“A prevenção e o combate ao abuso e exploração sexual fazem parte da rotina de trabalho na SAS, tanto na proteção social básica, quanto especial. As denúncias podem ser feitas pelo Disque 100 ou pessoalmente nos Centros de Referência Especializado em Assistência Social (Creas). A maioria dos os casos que chega para a gente pelo Conselho Tutelar. As pessoas que têm acesso precisam observar o comportamento das crianças”.

Mensalmente, os Creas acompanham, em média, 250 crianças e adolescentes que foram vítimas de abuso ou exploração sexual, a maior parte ocorre dentro das famílias.

Comente com o Facebook