Prefeitura orienta sobre o descarte correto dos resíduos

- PUBLICIDADE -


O descarte incorreto de lixo é um problema que diariamente tem gerado reclamações e demandas para a Secretaria de Infraestrutura da Prefeitura de Chapecó. Mesmo com uma empresa terceirizada que recolhe mensalmente 4,2 mil toneladas de resíduo orgânico e 750 toneladas de material reciclável, com ações como o Bota Fora, aquisição de novos contêineres, disponibilidade de três Ecopontos, entre outras ações, ainda tem muita gente que faz o descarte irregular.

- PUBLICIDADE -

“Nós temos muitas situações de descarte ao lado em vez de dentro das lixeiras/contêineres, situações de descarte de material em local inadequado, como por exemplo de mecânica autopeças que são colocadas em áreas clandestinas e nos contêineres, o que não é permitido. Pedimos que as pessoas façam o descarte correto pois assim colaboram com o meio ambiente e deixam a cidade mais bonita”, afirmou a gerente de Saneamento da Secretaria de Infraestrutura, Graciela Heckler.

Quem não seguir às orientações está sujeito à multa que varia de R$ 400 a R$ 4 mil. Nos locais onde tem a coleta automatizada, o lixo orgânico (restos de alimentos, o lixo de banheiro), vai no contêiner verde. Já os resíduos recicláveis (papel, garrafas, potes, caixas de leite limpas) vão no contêiner verde.

Também existem 16 contêineres instalados que são específicos para vidro, que estão ao longo da Avenida Getúlio Vagas, na Attilio Fontana e na rua Anjo da Guarda, no bairro Efapi. Outros quatro serão instalados no Calçadão e avenida Nereu Ramos.

Os galhos são recolhidos dentro de um cronograma, que está disponível no site da Prefeitura (www.chapeco.sc.gov.br). Também é possível informações pelo telefone 3319-3600.

Outra ação é o programa Bota Fora, que passa recolhendo móveis e eletrodomésticos nos bairros, com prévia divulgação.

Chapecó conta também com três Ecopontos, um na Prefeitura, outro na Secretaria de Infraestrutura Urbana e outro no Parque da Efapi, que recebem os seguintes materiais:

-Eletroeletrônicos – Computadores, notebooks, celulares, monitores, TVs, pilhas e baterias. Materiais inteiros.

-Eletrodomésticos, metais e ferros – Geladeiras, fogões, máquinas de lavar, micro-ondas, cadeiras de metal, estantes de metal, latas de tintas (vazias).

-Móveis– Sofás, mesas, cadeiras de madeira, colchões, tábuas. Os materiais devem estar desmontados.

-Vidros –Garrafas em geral, vidros de box, utensílios quebrados (menos porcelana e para-brisa)

-Caixinhas de leite (somente limpas)

-Óleo de cozinha (dentro de garrafas pet bem lacradas)

-Lâmpadas (somente inteiras e até 10 unidades por pessoa)

-Esponjas (secas)

-Tampinhas de plástico em geral (garrafa pet, produtos de limpeza, etc.)

-Pneus

MATERIAIS NÃO RECEBIDOS NOS ECOPONTOS:

-Peças mecânicas, estopa, óleos, para-brisas de carro, etc.

-Laminado de piso

-Entulhos e materiais de construção

-Resíduo hospitalar e de saúde

Para o recolhimento destes materiais deve ser contratado um serviço particular, de empresa privada que faça este recolhimento.

As empresas que geram grande volume de resíduos também devem obedecer a um plano de destinação.

Descartes irregulares devem ser denunciados, com imagens que identifiquem o flagrante do descarte e também o autor ou a placa do veículo, para que seja possível a responsabilização.