Houve avanços na agenda do clima, mas os desafios ainda são muitos


Para a deputada Paulinha (Podemos), houve avanços na agenda do clima, mas os desafios ainda são muitos instigantes e, se depender de ações efetivas, como o projeto de lei que decreta o estado de emergência climática no Estado de Santa Catarina, de sua autoria, o Brasil e Santa Catarina devem manter o protagonismo em defesa das causas ambientais.

Essa foi uma das considerações da live promovida na tarde desta terça, dia 10,  pela  Frente Parlamentar Ambientalista do Congresso Nacional juntamente com o Instituto Clima e Sociedade- ICS em que a deputada Paulinha representou Santa Catarina apresentando as iniciativas empreendidas e destacando a aderência do Governo do Estado em defesa da sustentabilidade ambiental em Santa Catarina.  

Coordenadora da Frente Parlamentar Ambientalista, Paulinha advoga pela causa ambiental que é  uma das bandeiras de seu mandato. Em um post em suas redes sociais, a deputada destacou a importância desse tema que é tão presente em sua vida. 

“Se tem um assunto que me instiga a discutir e buscar soluções é o meio ambiente. E isso quem me acompanha já sabe. Por isso foi tão importante participar hoje da rodada de debates da Frente Parlamentar Ambientalista do Congresso Nacional. O objetivo é que cada estado apresente medidas de contribuição na implementação da NDC Brasileira (Contribuição Nacionalmente Determinada) principal compromisso internacional do Brasil na área de mudança do clima”, avaliou.

Ela comenta que em Santa Catarina tem a honra de presidir a Frente Parlamentar Ambientalista. “ E  como deputada, estou sempre atenta às possibilidades de defender essa causa. Tanto que no ano passado coloquei o tema em pauta na Assembleia quando protocolei o projeto de lei que decreta estado de emergência climática no nosso estado”, afirmou.

“ Essa não é uma questão de escolha, e sim um caso de urgência de toda a sociedade comprometida com a causa ambiental”, destacou reafirmando o seu comprometimento com esse tema. “Vamos seguir com esse propósito de preservação do nosso meio ambiente, nos mantendo cada dia mais atentos às ações que geram impactos diretos no nosso clima e na fauna catarinense”.

Durante uma hora de live, a parlamentar destacou a campanha #Marsempetróleo, que liderou juntamente com outras organizações ambientais, em defesa do litoral catarinense. A Agência Nacional de Petróleo (ANP) lançou edital para a bacia de Pelotas visando a exploração de petróleo nessa região. Com a exploração, 29 municípios litorâneos de Santa Catarina seriam atingidos.
Paulinha defendeu que a exploração de petróleo na costa catarinense seria uma ameaça à tradicional pesca da tainha. “Havia um risco de extinção de 100 espécies, como os peixes de passagem. Um deles é a tainha. Em cinco ou seis anos não teríamos  mais a pesca da tainha. Santa Catarina é um pólo pesqueiro. Não poderíamos permitir”, disse.

Quanto ao projeto de lei que decreta o estado de emergência climática no Estado de Santa Catarina, estabelecendo diretrizes e ações para enfrentamento da situação de emergência, a parlamentar acredita que será sancionado pelo Governo. “Temos convicção porque o Governador Carlos Moisés é sensível a essa causa”, informando ainda que o propósito é discutir o estado de emergência climática em todo o país e que essa é uma iniciativa da Rede Raps, que integra.

Valquiria Guimarães
Assessoria de Comunicação
Deputada Paulinha
048 991047676

Comente com o Facebook