Paulinha afirma que é irresponsável colocar o governo como um promotor de aumento de impostos


Durante a discussão a respeito do Projeto de Lei (PL) 78/2022, de autoria do Poder Executivo, a respeito do ICMS do leite longa vida, da farinha de trigo e dos bares e restaurantes, a deputada Paulinha (Podemos) uniu sua voz às  manifestações e criticou o que chamou de exploração eleitoreira da questão. “É irresponsável colocar o governo como um promotor do aumento de impostos”, disse. “Não é lúcido que alguém que se elegeu utilize de inverdades para atacar o governo e se promover em um ano eleitoral”, ponderou a parlamentar.

A parlamentar ainda comenta que em mais de 30 anos de vida pública, nunca testemunhou tantos investimentos empreendidos pelo Estado em todos os 295 municípios catarinenses.

“O que Santa Catarina está vivendo é único, um momento histórico em que todas as 295 cidades estão sendo beneficiadas pela mão do Estado, independente de siglas partidárias ou linhas ideológicas”, avalia, destacando que esse momento é fruto de uma gestão com robustez econômica, com austeridade na administração da máquina pública, que extinguiu mais de 2 mil cargos comissionados, reviu contratos terceirizados e que representou uma economia de mais de R$ 600 milhões para o Estado.    

Por unanimidade, o Plenário da Assembleia Legislativa aprovou na tarde desta terça-feira (3) o Projeto de Lei (PL) 78/2022, de autoria do Poder Executivo, que reduz o ICMS do leite longa vida, da farinha de trigo e dos bares e restaurantes. A proposta, que também amplia o prazo de vigência da cesta básica catarinense, já está pronta para ser encaminhada para a sanção do governador.

As discussões sobre o PL 78/2022 demoraram mais de duas horas e mobilizaram deputados de vários partidos.

Valquiria Guimarães
Assessoria de Comunicação
Deputada Paulinha
048 991047676

Comente com o Facebook