Educação Municipal engajada no combate à dengue


Considerando o avanço dos casos de dengue em nossa cidade, muitas instituições da rede municipal de Educação desenvolveram, ao longo da semana, atividades com o intuito de conscientizar a comunidade escolar sobre a doença e sobre como prevenir a proliferação do mosquito. Atualmente, Chapecó tem 713 casos de dengue positivos de dengue e o tema tem sido abordado nas aulas através de palestras, brincadeiras, panfletagem entre outros.

Na EBM Vila Real, na terça-feira, as professoras Jéssica Antunes de Souza e Marlene Noronha organizaram uma dramatização, na qual o Sapo Otto capturava o mosquito e alertava sobre os locais em que ele vive. Os alunos da educação especial foram os protagonistas da apresentação. As professoras Jéssica e Marlene relataram: “nós tentamos colocar os alunos da Educação Especial junto no teatro para que eles despertem esse gosto e que eles também compreendam a necessidade de aprender sobre como combater a dengue. Eles gostaram e interagiram. A partir disso, a gente conseguiu a parceria com os professores de sala e eles fizeram os panfletos com os alunos que serão distribuídos no final da manhã e no começo da tarde no portão da escola”.

No período da tarde de terça-feira, as crianças do CEIM Aquarela, do bairro Passo dos Fortes, realizaram uma panfletagem na entrada da instituição e também uma exposição dos trabalhos das crianças como forma de conscientização e prevenção do mosquito transmissor da dengue. A aluna Livia, da turma de crianças bem pequenas, explicou o que aprendeu sobre o mosquito: “Eu aprendi que o mosquito coloca mais de 100 ovinhos por vez e que o ciclo para ele nascer é de 4 dias”. A gestora do Ceim, Guilhane de Mello, contou que, “as crianças têm um poder de persuasão muito forte nas famílias, reportando tudo o que vivenciam na escola. Com isso, esperamos sensibilizar também a comunidade escolar para uma mudança de atitude”.

Na quarta-feira, os alunos da turma das crianças pequenas, do Ceim do Comércio, realizaram uma inspeção na instituição para verificar se havia algum foco do mosquito. De acordo com a gestora, Fabiele Korte Ribas, “as professoras também têm encaminhado atividades para as famílias realizarem em seus lares e depois os alunos relatam como o pai, a mãe e os irmãos se envolveram e como fizeram e o que encontraram. Assim, fortalecemos a parceria no combate a dengue”.

Também na quarta, na EBM Diogo Alves da Silva, do bairro Efapi, promoveu uma palestra referente ao combate à dengue pela profissional Márcia Aparecida Frydricheski de Campos, da Secretaria de Saúde e Vigilância Ambiental. A palestra tratou das formas de prevenção e dos sintomas que devem ser observados.

E na sexta-feira, na EBM em Agropecuária Demétrio Baldissarelli, o Projeto Com’ vida Ararauna, decidiu colaborar com ações preventivas para evitar os focos de dengue e assim, diminuir os casos. O objetivo foi sensibilizar os estudantes, por meio do teatro, para que eles levem essas informações para sua família e comunidade. “Além de desenvolver a parte da educação ambiental sobre a dengue, o teatro desenvolve a oratória, a questão da memória para decorar fala, a postura, a leitura e conhecimento de novas palavras”, afirmou a professora Jéssica Pauletti que coordenou os ensaios.

A Secretária de Educação de Chapecó, Astrit Tozzo, afirma que as atividades que estão sendo desenvolvidas irão colaborar no combate ao mosquito. “Nós sabemos o quanto a educação pode colaborar em um momento desses e nós, quanto rede, estamos envolvidos e fazendo nossa parte”, disse ela.

As ações de combate e prevenção a dengue estão sendo planejadas por diversas escolas nas próximas semanas.

Comente com o Facebook