Audiência pede processo transparente na seleção de professores ACTs


Buscar uma maior transparência no processo de seleção de professores ACTs (Admitidos em Caráter Temporário) pela Secretaria de Estado da Educação é o objetivo da audiência pública realizada na tarde desta quarta-feira (30), convocada pela presidente da Comissão de Educação, deputada Luciane Carminatti (PT). Na plateia, professores de diversas regiões e dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte).

“O último processo foi conflituoso, com muitas irregularidades. A chamada dos aprovados foi on-line, sem transparência. As provas foram feitas no final do ano, o que precisa ser corrigido. As aulas começaram em fevereiro e em abril muitas escolas ainda estão sem aulas por falta de professores.Queremos um processo mais tranquilo”, relatou Luciane Carminatti.

Para o promotor do Ministério Público, João Luiz de Carvalho Botega, do Centro de Apoio da Infância e Juventude, é preciso avaliar melhor as estratégias de seleção para atender com qualidade crianças e adolescentes, além de valorizar os professores.

Já o coordenador estadual do Sinte, Luiz Carlos Vieira, enfatizou a importância da reunião para lançar a base dos próximos processos de seleção dos professores ACTs.

Respeito
Professores ouvidos na audiência denunciaram a falta de transparência, o que tem feito com que muitos candidatos aprovados desistam da vaga. Relatos de grande frustração na categoria dão conta de que professores da rede estadual estão migrando para os municípios, devido às dificuldades impostas pelo processo de seleção.

Salas lotadas, distância entre escolas, professores doentes e o crescente desemprego também foram motivo de insatisfação nos depoimentos dos profissionais da educação, que pediram respeito para continuar nas salas de aula.

Um novo edital e processo seletivo, assim como concurso público, foram reivindicados com o apoio da Comissão de Educação, Ministério Público e Sinte.

Análise
Luiz Fernando Goes Ulysséa, do Centro de Apoio Operacional da Moralidade Administrativa (CMA), informou que o processo seletivo dos ACTs no Estado possui um indicativo de irregularidades, sendo que o Ministério Público está analisando as denúncias. “Queremos aperfeiçoar o sistema e por esta razão o material da audiência pública será encaminhado ao Ministério Publico.”

Grupo de trabalho
Como encaminhamento da audiência pública, Luciane Carminatti afirmou que um grupo de trabalho será formado para acompanhar as deliberações do CMA e do Centro de Apoio da Infância e Juventude sobre as diversas irregularidades apontadas pelo Sinte e pelos professores afetados pelo processo  de seleção.

Comente com o Facebook