Prazo para abertura de empresas em Criciúma é de quatro horas


Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

O tempo para abrir uma empresa em Criciúma diminuiu novamente. O prazo, desde a solicitação até a existência legal do negócio, agora é de quatro horas. O prefeito Clésio Salvaro anunciou o avanço na última segunda-feira (28), na cerimônia de posse da nova diretoria da Associação Empresarial de Criciúma (Acic). “Em Criciúma procuramos ser parceiros de novos negócios, contribuindo para o desenvolvimento do município e auxiliando novos empreendedores com a desburocratização dos serviços”, ressaltou o prefeito.

“Esse prazo só foi atingido por melhorias no sistema de cadastro. Processos de diferentes setores foram integrados na Casa do Empreendedor. Além disso, digitalizar a maior parte do serviço também tornou tudo mais ágil, já que não é preciso se deslocar até vários locais e aguardar em filas”, explicou o diretor de Desenvolvimento Econômico, Tecnologia e Inovação, Aldinei Potelecki.

O período necessário para abrir uma empresa na cidade tem histórico de diminuição. Segundo dados do setor, em janeiro de 2021, esse prazo era de dois dias. Em março, um dia, e em dezembro foi reduzido para 14 horas. No ano passado, 5630 empresas foram abertas em Criciúma, e o saldo entre trabalhadores admitidos e desligados foi de 4550.

Casa do Empreendedor na Praça Nereu Ramos

A Casa do Empreendedor, setor criado para auxiliar investidores no município, tem realizado encontros com o objetivo de se aproximar da população, levando os serviços até as comunidades. Neste sábado (2), o órgão estará na Praça Nereu Ramos, em frente à Casa Da Cultura Neusa Nunes Vieira, das 8h às 14h. Entre os serviços disponíveis estarão:

 – Informação e orientação para abertura de todos os tipos de empresas;

 – Formalização de microempreendedores individuais (MEI);

 – Formalização de profissionais autônomos;

 – Emissão de alvará e inscrição municipal;

 – Emissão de guias DAS – MEI;

 – Declaração anual (MEI);

 – Auxílio para emissão de notas fiscais;

 – Cursos, capacitações e consultorias;

 – Orientações sobre linha de crédito disponíveis ao Micro e Pequeno Empreendedor;

 – Dentre outros serviços de apoio e suporte aos pequenos negócios.

Comente com o Facebook