Serviço de Vigilância Epidemiológica de Blumenau emite nota de alerta sobre casos de Dengue na cidade


Na quarta-feira, dia 16, o Serviço de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Promoção da Saúde de Blumenau (Semus) emitiu uma nota de alerta para as unidades de saúde da atenção básica. O comunicado foi feito em virtude do aumento do número de casos de Dengue registrados no município. De janeiro até agora, os agentes identificaram 1.608 focos do mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão da dengue, febre amarela, zika e chikungunya. No mesmo período do ano passado eram 1.177 focos, o que representa um aumento de 35% no período.

Até agora, o município registra 269 notificações. Destes, 65 são casos confirmados, sendo seis casos importados e 59 autóctones, ou seja, contraídos em Blumenau. Dois moradores de Blumenau com diagnóstico de dengue estão internados em hospitais da cidade. No dia 7 de março, uma mulher de 33 anos teve diagnóstico da doença. No dia 9 de março, um homem de 35 anos teve diagnóstico da doença. Os dois pacientes estão internados em enfermaria, com estado de saúde considerado estável. 

Atualmente, dos 35 bairros da cidade, 17 são considerados infestados e são monitorados diariamente. São eles: Água Verde, Centro, Do Salto, Escola Agrícola, Garcia, Fortaleza, Itoupavazinha, Itoupava Norte, Itoupava Seca, Jardim Blumenau, Ponta Aguda, Salto do Norte, Tribess, Velha, Velha Central, Vila Nova e Victor Konder. O bairro Escola Agrícola concentra 50% dos locais de contaminação no município. Porém, a transmissão também está ocorrendo nos bairros Garcia, Velha Itoupava Norte, Água Verde e Vila Nova.

Em janeiro, os agentes de endemias intensificaram aplicação de Ultra Baixo Volume (UBV) popularmente conhecido como fumacê nos bairros em há a combinação de dois fatores – a presença do mosquito contaminado e do paciente com diagnóstico confirmado. Vestindo uniforme específico que garante a segurança dos profissionais, eles aplicam uma “nuvem” de fumaça com baixas doses de um agrotóxico que elimina a maior parte dos mosquitos adultos. A ação é preconizada pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica do Estado (DIVE) no combate ao mosquito Aedes Aegypti.

O Programa de Combate à Dengue do município conta com cerca de 60 profissionais que atuam na fiscalização e orientação dos moradores. Os agentes estão identificados com uniforme e crachá com nome e matrícula do profissional contratado pela Prefeitura de Blumenau. As fotos de todos os agentes estão disponíveis no site da Prefeitura.

Sinais e sintomas
A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, a dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

As pessoas que apresentem os sintomas da doença devem procurar atendimento nas unidades Estratégia Saúde da Família (ESF) ou Ambulatório Geral (AG). A busca por atendimento em caso de suspeita permite evitar o agravamento do quadro e inclusive a evolução para o óbito.

Denúncias
A população também pode denunciar locais com possíveis focos do mosquito, entrando em contato com o Programa de Combate à Dengue, por meio do OuvidorSUS no telefone 156 (opção 4) ou pelo telefone 3381-7770.

Dicas e cuidados para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

– Elimine água parada de todos os recipientes
– Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda
– Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo
– Mantenha lixeiras tampadas
– Deixe os depósitos d’água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água
– Plantas como bromélias devem ser evitadas, pois acumulam água
– Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana
– Mantenha ralos cobertos com telas de malha filha para evitar que o mosquito tenha acesso ao local
– Lave recipientes com depósito de água, como potes de comida e água dos animais, com escova ou esponja e detergente, no mínimo uma vez por semana
– Se for necessário que o recipiente fique com água, como no caso de ralos, utilize hipoclorito
– Retire a água acumulada em lajes
– Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados
– Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário
– Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da dengue

Assessor de Comunicação: João Vitor Korc

postada em 16/03/2022 17:45 – 55 visualizações

Fotos

Comente com o Facebook