Mobilização contra a dengue em Chapecó


O número de casos positivos da dengue em Chapecó chegou a 337 nesta quinta-feira, nove vezes mais do que no mesmo período do ano passado. Devido a este aumento a Administração Municipal convocou uma reunião de mobilização, com a presença do prefeito João Rodrigues, secretário de Saúde, Luiz Carlos Balsan, secretário adjunto de Saúde, Nédio Conci, secretário de Planejamento, Valmor Scolari, secretária de Assistência Social, Elisiani Sanches, presidente do Conselho Municipal de Saúde, André Teloken, coordenador municipal da Defesa Civil, Valter Luciano Huning, comandante da Guarda Municipal, Roger de Lima, gerente de Vigilância em Saúde, Rodrigo Momoli, superintendente da Efapi, Claimar de Conto, vereadores, líderes religiosos, professores e gestores da secretaria de Educação, entre outros.

“Estamos fazendo um apelo a todos, que os professores falem para os alunos, que os alunos falem para seus pais, que os pastores e padres convoquem seus fiéis, para que todos vistoriem suas casas e eliminem os criadouros de mosquitos, que pode estar na ponta de um bairro ou na cobertura de um prédio. É um gesto, um ato, que pode salvar vidas”, disse o prefeito, João Rodrigues.

A coordenadora da Vigilância em Saúde Ambiental, Karina Giachini, disse que no ano passado, além do trabalho constante que já é realizado, foram realizados dez mutirões, que ajudaram a manter controlada a doença, mesmo com o aumento no número de focos.

Só que neste início de ano a situação se agravou e por isso o apelo para que a comunidade colabore.“Nós temos 104 mil imóveis no município e estamos com surto em três bairros, que são Efapi, Eldorado e Vila Real. Estamos fazendo mutirões, aplicação do fumacê, mas isso não está sendo suficiente. Precisamos que cada um elimine qualquer potinho com água”, disse Karina. No próximo sábado, uma nova ação será realizada na Vila Real e Efapi.

O gerente da Vigilância em Saúde, Rodrigo Momoli, ressaltou que metade dos focos do Aedes aegypti é no lixo. Ele também citou que uma ação que iniciou nesta quinta-feira é a vistoria dos estabelecimentos que são pontos estratégicos, como borracharias, floriculturas, ferros-velhos e comércio de autopeças.Quem não estiver tomando as medidas de eliminação dos criadouros, será notificado e multado.

O secretário de Saúde, Luiz Carlos Balsan, anunciou que 30 novos agentes de endemias serão contratados em caráter emergencial, por 90 dias, para reforçar o efetivo, que atualmente é de cerca de 60 agentes. Além disso a Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE), também vai reforçar as ações na região, pois já tem municípios em epidemia. Uma reunião será realizada na próxima quarta-feira, na Unochapecó, para alinhar as ações.

Uma dica que foi levantada na reunião é a necessidade do uso de repelente, principalmente nas crianças.

Comente com o Facebook