Chapecó conta com Centro Especializado em Tuberculose, que identificou aumento de casos

- PUBLICIDADE -


Na próxima semana, dia 24 de março, é o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, quando é realizada uma campanha de conscientização sobre a doença, que teve um aumento de casos em 2022. São 20 casos no ano, contra quatro no mesmo período do ano passado. Em todo o ano de 2021 foram 36 casos no município.

- PUBLICIDADE -

Chapecó possui um serviço especializado para atender os pacientes, que é o Centro Especializado em Tuberculose, Hanseníase e Hepatites-CETHH. O local é anexo ao Centro de Saúde da Família Norte, que fica na Rua Heriberto Hulse, 84-D – Bairro: Passo dos Fortes. O atendimento é de segunda a sexta feira, das 7h às 19h.

De acordo com a coordenadora do Centro Especializado, Diane Negri, atualmente 32 pacientes com a doença ativa estão sendo acompanhados. Ela explica que nas terças e sextas-feiras são realizadas testagens de pessoas com sintomas suspeitos da doença, que são encaminhadas pelas unidades de saúde. Os testes de Prova Tuberculínica são com agendamento. Foram 948 testes no ano passado e, neste ano, 230 até o momento.

A tuberculose é uma doença infectocontagiosa causada por uma bactéria chamada Mycobacterium tuberculosis (Bacilo de Koch (BK)), que ataca preferencialmente o pulmão, porém pode acometer outros órgãos ou sistema do corpo.

Diane explica que, se alguém tiver os sintomas deve procurar as unidades de saúde, para diagnóstico e, se for positivo, início de tratamento, que é gratuito.

Em caso de dúvidas os telefones do CETHH são 3323-4437ou 3330-7428. O email é [email protected]

Sintomas da Tuberculose

  • Tosse e escarro por mais de três semanas;
  • Falta de apetite;
  • Emagrecimento;
  • Dor no peito;
  • Suores noturnos;
  • Cansaço fácil;
  • Febre baixa no final da tarde.

Como é transmitida?

A tuberculose é transmitida pelo ar, por meio de tosse e espirro, na convivência com doentes de tuberculose ativa. Os ambientes fechados e com pouca ventilação favorece a transmissão da doença.

Diagnóstico

O diagnóstico é realizado por meio de exames bacteriológicos (escarro), por imagem/exames complementares.

Tratamento

É realizado com medicamentos específicos com duração mínima de seis meses. Está disponível gratuitamente pelo SUS, e deve ser seguido desde o diagnóstico até a alta por cura.

Prevenção:

Vacinação: A vacina BCG (bacilo Calmette-Guérin), disponível no SUS, protege das formas mais graves da doença. A vacina está disponível nas salas de vacinação das unidades básicas de saúde e maternidades.

O tratamento da Infecção Latente da Tuberculose (ILTB): (tratamento dos contatos) é uma importante estratégia de prevenção para evitar o desenvolvimento da tuberculose ativa, especialmente nos contatos domiciliares, nas crianças e nos indivíduos com condições especiais, como imunossupressão pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), comorbidades associadas ou uso de alguns medicamentos.

O que o CETHH oferece:

  • Consultas médicas e de enfermagem;
  • Acompanhamento e monitoramento dos pacientes por equipe técnica qualificada de enfermagem e médica (pneumologista);
  • Investigação de familiares e contatos específicos conforme protocolo do MS;
  • Dispensação da primeira dose de medicação, e monitoramento da retirada das demais doses, desta forma monitorando o tratamento adequado;
  • Busca ativa aos pacientes faltosos e que não tem boa adesão ao tratamento;
  • Notificação dos casos no SINAN – Sistema de Informação de Agravos de Notificação;
  • Solicitação de exames complementares, conforme o quadro clínico do paciente;
  • Realização da prova tuberculínica ( PT – PPD), aos contatos de tuberculose ativa e população especial, conforme protocolos, para todo o município de Chapecó e outros 39 municípios da região; Realizados como rotina todas as terças e sextas feiras e a leitura do exame é realizada de forma presencial 72hs após aplicação.