PROFISSIONAIS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO APRESENTAM SEUS TRABALHOS DE COMUNICAÇÃO ORAL DE PESQUISA NO COEB 2022


Conduzidos pela especialista em história Tamelusa Ceccato, no primeiro dia do COEB 2022, no período das 14h às 16h, quatro profissionais ligadas à rede municipal de ensino apresentaram três trabalhos de comunicação oral de pesquisas.

Débora Raquel Schutz, mestre em educação e diretora de Educação Infantil da Secretaria de Educação da Capital, foi a primeira. Ela abordou “Constituição da Docência e suas Especificações na Educação Infantil e Anos Iniciais: uma genealogia do professor da Educação Básica”.

O objetivo do seu trabalho foi investigar e descrever como os discursos presentes nos documentos curriculares da Rede Municipal de Florianópolis reinstituem a docência e suas especificações nas duas primeiras etapas da Educação Básica, e como normalizam a conduta dos professores em cada uma delas.

Entre as descobertas exibidas na sua conclusão, foi visto que os modos de ser professor se transformaram no decorrer da história e essa transformação foi circunscrita por um conjunto de mecanismos de poder e dispositivos de segurança, governados pelas relações de saber e de poder que produziram diferentes modos de ser professor na sociedade moderna, constituíram diferentes subjetividades docentes.

​Maria Beltar, internauta que acompanhou a apresentação da mestre em Educação, comentou que, as relações entre educadores e educando tem cada vez mais se aproximado das relações humanas. As trocas e as buscas, rumo à construção do saber se dão ao longo do crescimento e evolução de ambos.

A segunda pesquisa intitulada “Educação Integral como Potencial Campo para os Redesenhos Curriculares”, foi apresentada pelas doutoras em educação Paula Cortinhas de Carvalho Becker e Edilene Eva de Lima.

Elas mostraram uma investigação que realizaram sobre a constituição da organização curricular em projetos de educação integral que pretendem uma formação humana integral. Foram objetivo de estudo os projetos: Programa Mais Educação (PME), Escola Pública Integrada (EPI-SC), Programa Escola Integrada (PEI-BH), e Projeto Educação Integral EBIAS.

Como conclusão foi observado que é muito importante a compreensão de conceitos que constituem uma concepção de educação integral, a necessidade de articulação de suas ações com o Projeto Político-Pedagógico (PPP), o desenvolvimento de projetos na perspectiva interdisciplinar como estratégia metodológica, gestão compartilhada, dialógica, colegiada, intersetorial, formas de otimizar escola e comunidade local, e outras descobertas.

O último trabalho de comunicação oral e pesquisas foi realizado pela mestra em Educação Tatiana Mina Valentim Bernardes que abordou “A Literatura de Temática das Culturas Africanas e Afro-brasileira nos Acervos do Programa Nacional Biblioteca da Escola “PNBE” para a Educação Infantil”.

Foi mapeado e analisado os livros de literatura infantil dos acervos do programa que focavam nas culturas africanas e afro-brasileiras, seja pelo conteúdo, temática, ou pela representação em formato textual e de ilustração.

Foi observado que nos 360 livros que compõem os 4 acervos, em 61 à representação negra e em apenas 12 ela é positiva.

A conclusão do trabalho foi que o racismo não está na pauta de discussões e acaba sendo reforçado, mas que existe uma necessidade de mais atenção nas escolhas e seleções dos livros para inclusão das questões raciais, e também pensar em propostas que se referem ao uso desses títulos nas instituições beneficiadas; entre outras revelações.

O tema geral do evento é “Práticas Pedagógicas Inovadoras e Humanistas: possibilidades para uma Educação Integral”. O evento pode ser acessado através do Portal Educacional da Prefeitura de Florianópolis, via youtube: https://www.youtube.com/channel/UCgGdhjUeLxFFoanEvDwAQLw

O congresso, organizado pela Secretaria Municipal de Educação, vai até esta quarta-feira (2) e conta com palestras, conferências e relatos de experiências.

galeria de imagens


Comente com o Facebook