Casan anuncia rodízio em Chapecó e município cobra ações


A Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) anunciou na tarde desta segunda-feira que, a partir de quarta-feira, iniciará um rodízio de fornecimento de água de 12h x 12h em 14 bairros de Chapecó: Alvorada, Cristo Rei, Eldorado, Jardim Itália, Lajeado, Palmital, Passo dos Fortes, Quedas do Palmital, Saic, Santa Paulina, Santos Dumont, Seminário e Universitário.

São 17,5 mil unidades, que representam 27% do total e ligações, que passarão a receber água das 7h às 19h. A informação foi divulgada pelo chefe da agência da Casan em Chapecó, Bruno Comunello Eleotero, em reunião com o secretário de Infraestrutura de Chapecó, Luiz Paulo Carraro, o diretor de Agricultura e responsável pela Secretaria de Desenvolvimento Rural, Jonas Bringhenti, o coordenador da Defesa Civil, Valter Luciano Hüning e a representante da Secretaria de Assistência Social, Kátia Regina Carlesso.

O chefe da Casan informou que mesmo com as chuvas da semana passada o nível do Lajeado São José não se recuperou do alto consumo dos dias de calor e está com apenas 15% do volume. Atualmente, dos 590 litros por segundo que são tratados no município, 310 litros por segundo vem da barragem do Rio Tigre, em Guatambu. Lá foram instaladas duas bombas extras que consomem dois mil litros de diesel por dia.

A Administração Municipal também cobrou o andamento de medidas que foram solicitadas há cerca de um ano, entre elas a perfuração de três poços e a construção de três reservatórios. A Casan informou que os poços do Esplanada e do Efapi foram perfurados, mas falta a instalação de bombas e outros equipamentos. Já o poço do Boa Vista não deu água suficiente.

O secretário de Infraestrutura, Luiz Paulo Carraro, sugeriu a perfuração em outro local. E citou que apenas as obras de um dos reservatórios, no bairro Paraíso, começou.

O chefe da Casan disse ainda que as obras para captação do Rio Chapecozinho estão em andamento e que uma nova estação de tratamento de esgoto será construída em Guatambu, que poderá atender o bairro Efapi.

Mesmo assim a Administração Municipal entende que o andamento das obras deveria ser agilizado diante da falta recorrente de água no município. A própria Casan reconhece que este problema vem se repetindo nos últimos três anos.

O diretor de Agricultura, Jonas Bringhenti, informou que no último trimestre choveu apenas 205 milímetros, o que representa 44,5% da média história, que são 460 milímetros.

Atualmente estão sendo distribuídos 132 mil litros de água por dia, com dois caminhões da Prefeitura e um da Casan. Estão sendo atendidas 492 famílias, de 28 comunidades. Tanto a Casan quanto a Administração Municipal solicitam para a população economizar água, evitando lavar calçadas, veículos e adotando outras medidas de economia. Quem estiver com falta de água pode ligar para a Secretaria de Infraestrutura, no telefone 3319-3600, ou então entrar em contato coma Casan.

A Administração Municipal também tem conversado sobre a possibilidade de uma parceria com uma agroindústria do município que tem um projeto de captação de água no Rio Uruguai.

Comente com o Facebook