Prefeitura da Capital aumenta atendimento na educação inclusiva chegando a quase 1.700 estudantes


As escolas, núcleos de educação infantil e núcleos de Educação de Jovens, Adultos e Idosos, ligados à Prefeitura de Florianópolis, possuem no total 1.679 pessoas com algum tipo de deficiência, Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou altas habilidades. É o que consta do relatório dos últimos seis meses feito pela Gerência de Educação Especial da Secretaria de Educação.

Em relação a julho, houve um aumento de 417 matriculados. Antes, eram 1.262 os atendidos pela administração pública na rede regular de ensino. Ocorreu um salto na identificação de estudantes com TEA. De 473, agora são 610 os que estão nas unidades educativas. Desse número geral, 309 crianças encontram-se na educação infantil, 300 no ensino fundamental e um estudante na EJA. 

De acordo com o secretário de Educação, Maurício Fernandes Pereira, uma  das hipóteses para esse número elevado de matriculados com Transtorno de Espectro Autista, 610, é o avanço do diagnóstico precoce e os encaminhamentos realizados pelos profissionais da educação envolvidos com as crianças e estudantes.

O número de matriculados com deficiência intelectual passou de 199 para 212, enquanto os que possuem deficiências múltiplas eram 51 e agora são 55.

Casos em observação passaram de 268 para 425. Isto é, são estudantes que estão sendo acompanhados pelos professores das salas multimeios para possível avaliação. Já os que estão em avaliação somam 206 contra 112 do primeiro semestre. Isto implica que os estudantes estão sendo atendidos por neurologistas, psiquiatras ou por uma equipe multidisciplinar.

galeria de imagens


Comente com o Facebook