Estudantes de escola municipal autografam livros produzido nas aulas


A turma do 4º ano da Escola Básica Municipal Clara Urmann Rosa, do bairro Parque das Palmeiras, realizou na manhã desta terça-feira, 30, um momento de autógrafos de livros produzidos pelos estudantes durante as aulas de Língua Portuguesa.

A produção literária é fruto do Projeto “Estante Mágica” e teve como objetivo despertar e incentivar o gosto pela leitura, de modo a desenvolver a criticidade e a interpretação de situações mundanas. Através da leitura de diferentes textos narrativos, foi possível conhecer a estrutura, organização e os elementos do gênero textual “fábula”. Diante disso, foi lançado um desafio aos alunos, de produzirem suas próprias fábulas.

Inicialmente, os estudantes imaginaram as histórias que iriam produzir, elencando personagens, tempo, espaço, moral e descreveram seus textos no caderno de Língua Portuguesa. As produções fluiram bem, e a criatividade superou as expectativas. E, num constante diálogo, surgiu a ideia de criar/escrever um livro.

A partir daí, os textos escritos no caderno passaram por um processo de correção e depois foram digitados. Em seguida, ilustrou-se as partes contadas na história. As professoras enviaram as produções escritas e ilustrativas para o aplicativo da Estante Mágica para serem transformadas em livros. E com o intuito de tornar o trabalho mais abrangente e significativo, a escola organizou um momento de autógrafos,no qual as crianças receberam seus livros prontos, tanto físicos quanto digitais.

Sobre a atividade, a estudante Júlia Dal Alba Da Silva relatou: “eu me senti muito orgulhosa com isso, é como se a minha vida explodisse de felicidade, agora eu sou o orgulho da minha mãe”. Já Eduarda Dal Alba Da Silva disse que “foi uma experiência legal, eu gostei bastante, eu estou bem orgulhosa de mim mesma, eu gostei”.

“É gratificante ver no rosto de cada criança o sentimento de felicidade, de encantamento, de emoção… Todos se envolveram ativamente no processo. Imaginaram, criaram, produziram, e reconheceram seus potenciais, desenvolvendo habilidades essenciais e significativas à sua formação integral”, expressou Glaucia Petry Dorneles, professora da turma e responsável pelo projeto.

Comente com o Facebook