Lançamento do Anuário de Itajaí 2020 comemora 200 anos da colonização do Vale do Itajaí


O Anuário de Itajaí 2020 foi lançado na tarde desta quinta-feira (25). A edição especial é comemorativa aos 200 anos da colonização do Vale do Itajaí (1820-2020). O ato oficial contou com a presença de autoridades e historiadores na sala de reunião do Gabinete do Prefeito e marcou o lançamento do edital da Fundação Genésio Miranda Lins para a edição de 2021 do periódico.

“Essa entrega simboliza nossa memória e respeito por nossos antepassados. O que está aqui, neste Anuário de Itajaí, é justamente a cultura e a história que representam a vida, a alma de nossa Itajaí”, disse o prefeito Volnei Morastoni.

A edição de 2020 do Anuário de Itajaí trata das intenções de se fazer povoar a então Província de Santa Catarina e tem como personagem central, Antônio de Menezes Vasconcellos de Drummond. O carioca é considerado um incentivador dos futuros núcleos populacionais que motivaram a ocupação e o desenvolvimento para além da região do litoral Norte catarinense.

No evento, o historiador e editor do Anuário, Rogério Lenzi, agradeceu a contribuição dos articulistas presentes no Gabinete e trouxe breve histórico das contribuições de Antônio de Menezes Vasconcellos de Drummond.

Os textos que compõem a edição atual trazem biografia, cronologia, maçonaria, inventário de publicações, teses e textos selecionados de debates profundos na historiografia local e catarinense.

“Esta edição traz um debate que iniciou em 2019 no aniversário de Itajaí. Em 2020 firmamos o compromisso de lembrar os 160 anos de emancipação política e administrativa da cidade e os anos 200 anos de nossa colonização”, lembrou o superintendente de Fundações, Normélio Weber.

O diretor executivo da Fundação Genésio Miranda Lins, Fabrício Marinho, demonstrou sua satisfação em poder compartilhar o momento com a sociedade. “Conseguimos retomar as edições que estavam paradas no tempo. Este ano é especial em representar os 200 anos de nossa colonização. Este anuário representa o amor pela cidade”, completou Marinho.

Abertura do edital para o Anuário de Itajaí 2021
Para dar continuidade ao Anuário de Itajaí, a Fundação Genésio Miranda Lins abriu o Edital para recebimento de trabalhos da próxima edição. A partir desta quinta (25), a fundação passa a receber os trabalhos dissertativos, crônicas, poesias, depoimentos, fotos, gravuras, entrevistas para o anuário 2021. A data final de envio está prevista em 04 de março de 2022. Saiba mais do edital aqui.

Criado em 1925, o Anuário de Itajaí têm como fundadores os jornalistas itajaienses Juventino Linhares e Jayme Fernandes Vieira. Os fundadores desejavam que a publicação fosse anual com notícias de acontecimentos relevantes da cidade, assim como dar publicidade a trabalhos literários e outras informações úteis aos leitores. A primeira edição não foi seguida de outras, como era a intenção, até 1949, quando Marcos Konder e Silveira Júnior tornam a editar o Anuário. Também sem continuidade, em 1959, os jornalistas Laércio Cunha e Silva e Roberto Mello de Faria publicaram o Anuário daquele ano e o de 1960, em comemoração ao 1º Centenário do Município de Itajaí.

A publicação foi retomada pela Fundação Genésio Miranda Lins no ano de 1998. O Anuário tem, desde então, a característica de anais da Fundação Genésio Miranda Lins para a publicação daquilo que se produz em Itajaí e região nos campos da história, da literatura, das artes e cultura. 

Comente com o Facebook