“Rios de SC estão definhando e ganância resulta em aquecimento global”


O deputado Padre Pedro Baldissera (PT), que ficou afastado por 60 dias para dar oportunidade ao suplente Adrianinho De Martini assumir a sua vaga na Alesc, percorreu várias regiões de SC. Entre as muitas reuniões realizadas e municípios visitados, buscou tratar dos eixos de atuação coletiva do seu mandato legislativo.

Entre eles, dialogar sobre a situação dos recursos hídricos, que ao longo dos últimos anos estão sendo comprometidos em sua qualidade e quantidade. “Percebemos muitos rios definhando ou desaparecendo no território catarinense, com a qualidade comprometida; não só as águas superficiais, mas também as subterrâneas, como os nossos aquíferos”.

Segundo Padre Pedro, o comprometimento das águas ocorre, seja pela falta de tratamento de dejetos humanos, de saneamento básico, seja pelo mau uso dos agrotóxicos e poluição. “São gargalos enormes, mas temos que ter a ousadia e fazer o enfrentamento”, disse.

Outro debate promovido nos encontros envolveu o aquecimento global. “A cada ano, o clima é cada vez mais quente e o planeta clama para que tenhamos cuidados, que se estendem na nossa relação com as matas, com o ar, com a água, com a mãe terra.” Segundo o deputado, diante da ganância humana, da concentração de renda e riqueza exploramos o planeta, o ambiente, os ecossistemas e vamos os destruindo. “E os grandes penalizados somos nós mesmos, os seres humanos, além de outras dimensões de vida que também são afetados pela nossa má atuação”, afirmou.

Também abordada por Padre Pedro foi o tema da alimentação saudável. “Pontuamos a necessidade profunda de avançarmos com políticas e ações para a produção de alimentos orgânicos e saudáveis, que não contenham resíduos de agrotóxicos. Em preparação, estamos organizando o 10º Seminário Estadual da Agroecologia, que vai ocorrer em maio de 2022, em Lages.”

Durante estes dois meses pelo interior do Estado, Padre Pedro se debruçou sobre o tema das Práticas Integrativas e Complementares de Saúde (PICs) e, em parceira com as universidades (UFSC e UFFS), que contribuem através do Observatório Catarinense das PICS, quer avançar na capacitação e na formação dos profissionais para que possam dar andamento como políticas públicas nos municípios.

“Aprovamos na Alesc a lei que torna as PICs políticas públicas dentro do SUS. Hoje temos 29 práticas que trabalham a pessoa como um todo, a sua autoestima, as suas emoções. O poder público não pode apenas chegar depois que as pessoas ficam doentes. O papel do ente público, em qualquer esfera, tem que ser preventivo.”

Por último, Padre Pedro ressaltou a importância da instalação da Frente Parlamentar da Apicultura e Meliponicultura que envolve toda a cadeia produtiva do mel, para incrementar as políticas públicas que fizeram de Santa Catarina um grande produtor e da qual o deputado é vice-presidente.

Juliana Wilke
Assessoria Coletiva | Bancada do PT na Alesc | 48 3221 2824

Comente com o Facebook