Procon de Joinville orienta sobre compras durante a Black Friday


Com a proximidade da Black Friday, este ano em 26 de novembro, muitas lojas fazem promoções e estimulam os consumidores irem às compras. Mas é preciso ficar atento para fazer uma compra segura.

A primeira orientação é ter atenção e paciência na hora de comprar. “Quem faz a compra com pressa, afobado, com muito entusiasmo, viu e já quer comprar, pode cair num golpe. Então tenha cuidado, pesquise bastante, tenha atenção principalmente em relação as compras on-line. É importante prestar atenção nos endereços eletrônicos. Lojas muito conhecidas podem ser clonadas, copiadas, então toda atenção é pouca. Se a loja é conhecida, baixe o aplicativo porque há menos riscos de cair em golpe”, explica Cristiane Berger, gerente do Procon de Joinville.

Outra dica é desconfiar de ofertas muito baratas, “É claro que nessa época a gente espera bons preços, mas aqui no Brasil a gente não tem uma Black Friday nos moldes americanos. A gente tem bons descontos, mas não são tão grandes assim. Se você vir que um produto está muito barato, pesquise e compare com as demais lojas”, informa a gerente do Procon.

O ideal é acompanhar o preço do produto que o consumidor quer adquirir antes da Black Friday. “Tem que acompanhar o preço antes, para saber se naquele dia tem realmente uma promoção que vale a pena O Procon fiscaliza, mediante denúncia, lojas que podem praticar aumentos abusivos na tentativa de iludir o consumidor”, explica.

O consumidor tem que ficar atento quanto ao preço final em caso de parcelamentos. “É preciso saber se o parcelamento é sem juros. Muitos casos que chegam ao Procon são de pessoas que compraram em muitas prestações e quando vão ver estão pagando duas, três vezes o valor original do produto. É normal incluir juros em compras parceladas. Quando a pessoa faz de forma afobada, corre risco de pagar mais e não prestar atenção nesses detalhes”, finaliza Cristiane.

Dicas para o consumidor

– O prazo de entrega pode variar e o importante é essa informação ficar clara ao consumidor. Ele precisa saber se a mercadoria vai chegar dentro de 1, 7, ou 30 dias.- Nota fiscal é direito do consumidor. Se o lojista se recusar, o cidadão pode fazer uma queixa junto à Secretaria da Fazenda do Estado.
– Se o consumidor acha que foi vítima de algum golpe, ao procurar o Procon, é preciso ter em mãos, um pedido de compra, um comprovante de pagamento, prints das conversas de WhatsApp (se a compra foi feita pelo aplicativo de mensagens, mas áudios não são aceitos).
– Antes de comprar, pesquise em sites de reclamações contra empresas sobre atendimento, compra, venda, produtos e serviços. Verifique os comentários de outros consumidores, se a loja demora para entregar, se já teve problemas anteriores e como se posiciona para solucionar os possíveis problemas registrados.
– Cuidado com compras de sites estrangeiros, as regras do Código do Consumidor não se aplicam se o site não tiver representantes no Brasil.
– Consulte sempre a página oficial da loja.
– Verifique a reputação do fornecedor.
– O prazo de arrependimento para compras on-line ou por telefone é de sete dias a partir da entrega do produto.
– Verifique antecipadamente a política de troca da loja.

Comente com o Facebook