Alesc sedia 1ª Mostra de Boas Práticas e Inovação na Educação


A Assembleia Legislativa de Santa Catarina é o palco da 1ª Mostra de Boas Práticas e Inovação na Educação. O evento, realizado presencial e virtualmente durante esta segunda-feira (22), disponibiliza para educadores e administradores públicos de todo o Brasil exemplos de 13 cidades catarinenses sobre o setor.

Clenilton Pereira, presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam), entidade que promove a mostra, destacou a necessidade deste intercâmbio de ações. “Tudo o que acontece lá no Oeste a gente não fica sabendo no Norte ou no Sul. Olhem o exemplo de Anchieta, melhor Ideb [Índice de Desenvolvimento da Educação Básica] de Santa Catarina e quarto melhor do Brasil. É um município pequeno como a maior parte das cidades do estado, onde 166 municípios têm menos de 10 mil habitantes. Quantas delas não podem seguir o exemplo de Anchieta?”, argumentou.

Para Pereira, que é prefeito de Araquari, na região Norte, a pandemia trouxe “muita coisa ruim” e desafios para que a sociedade pudesse se reinventar. “Na educação, os pais, alunos, a rede de ensino, todos sofreram muito e tiveram que se reinventar. Muito do que está se mostrando aqui na Alesc hoje surgiu na pandemia”, avaliou. 

O prefeito de Agrolândia, José Constante (PP), que é o vice-presidente da Fecam, comentou que a meta do evento é socializar inovações e mostrar novas formas de conduzir a educação. “E isso é algo que não depende do tamanho da cidade. Temos aqui exemplos de municípios com menos de 5 mil habitantes que têm boas práticas e temos também Florianópolis, que é a capital do Estado e tem mais de 500 mil habitantes. Todos mostram que, com baixo custo e usando a criatividade é possível gerar melhoria da qualidade da educação”, afirmou.

Exemplos
O prefeito de Anchieta, Ivan José Canci (PT), citou que a primeira colocação no Ideb foi alcançada com o que ele considera princípios básicos. “Formação de professores, cuidado em receber e acolher os alunos, aliado com estrutura adequada das escolas. Não de luxo, mas adequada. Isso permitiu a criação de um bom ambiente para estudar. Também buscamos o envolvimento do estudante e da comunidade, oferecemos 45% da merenda orgânica e um transporte escolar de qualidade. O conjunto das ações é que nos deu esse patamar”, contou. Na opinião dele, a mostra realizada na Alesc é importante para que todos possam ver a relevância de buscar inovação e novas experiências para melhorar o processo educacional em cada cidade.

Outro exemplo compartilhado no evento foi o investimento na digitalização do ensino feito pela capital catarinense. O prefeito da cidade, Gean Loureiro (DEM), destacou que a tecnologia passou a ser um tema transversal na administração pública. “Desde o combate à Covid, ações para desenvolvimento econômico e na educação, a tecnologia se transformou em grande referência”, citou. De acordo com ele, atualmente, nas chamadas Escolas do Futuro que foram implantadas na rede local de ensino, “além de inglês, português e libras, também se ensina o letramento digital”.

A ideia é focar na vocação das cidades da região. “Queremos que os jovens saiam do ensino fundamental e do ensino médio já com sua profissão encaminhada. Por isso que a tecnologia é grande aliada do processo e estamos investindo cada vez mais. Hoje o ensino da robótica e das novas tecnologias estão na grade curricular”, contou. Loureiro ressaltou que as pessoas “têm uma carência de acesso à Internet” e, por isso, a prefeitura investiu na aquisição de chips de acesso. “Trazemos para todos os alunos do ensino fundamental e aos professores. São 35 mil pessoas que têm acesso à internet, permitindo que todas as famílias utilizem. Isso se torna o maior programa de inclusão digital de Santa Catarina. É um investimento que traz um grande retorno dentro da realidade que enfrentamos de um mundo totalmente digital”, opinou.

Com 300 participantes inscritos, para o modo virtual e presencial, a mostra vai apresentar ainda casos de sucesso dos municípios de Barra Velha, Caçador, Campos Novos, Joaçaba, Rio do Sul, São Bento do Sul, São João do Oeste, São Joaquim, Timbó, Tubarão e Vargeão. Participam ainda a Confederação Nacional de Municípios (CNM), Fórum Estadual da Educação, União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-SC), Centro de Apoio da Infância e Juventude (CIJ) do Ministério Público de Santa Catarina, Tribunal de Contas do Estado de Santa Catarina e, pela Alesc, as comissões de Educação, Cultura e Desporto e de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Comente com o Facebook