Adrianinho De Martini faz balanço dos 60 dias na Alesc


O deputado Adrianinho De Martini (PT) encerrou, esta semana, a sua passagem pela Assembleia Legislativa com discurso de agradecimento e um balanço das atividades durante os 60 dias em que assumiu a vaga de suplência, no lugar do deputado Padre Pedro Baldissera (PT).

Adrianinho destacou que durante os dois meses se dedicou intensamente para aproveitar cada minuto elaborando e apresentando projetos, proposições, recebendo prefeitos, vereadores, secretários e lideranças sindicais, populares e partidárias. “Coerente com o propósito que me trouxe até aqui, com o juramento e discurso no dia de minha posse, apresentamos 95 proposições, entre indicações, requerimentos, moções, pedidos de informação e oito projetos de lei.”

Ele destacou que ouviu as demandas, necessidades, sugestões e críticas dos catarinenses através de reuniões virtuais, redes sociais e presencialmente indo às bases e levando sua mensagem ao interior de estado, em mais de 60 municípios visitados.

“Priorizamos ações voltadas ao bem viver da população de Santa Catarina, especialmente dos mais pobres e necessitados, agindo através dos pronunciamentos e votos com coerência à missão pelo povo a nós confiada, de contribuir para que todos os filhos tenham escola, todos os jovens tenham emprego, todas as famílias tenham teto, renda e comida no prato”, ressaltou.

Neste período, o deputado relembrou dos debates de temas importantes, como o Projeto Piloto de Transição Agroecológica junto com as entidades ligadas à agricultura familiar e camponesa; o atendimento aos municípios que foram atingidos por fortes chuvas com intermédio junto à Secretaria de Agricultura e Defesa Civil; a reestruturação do SAMU; a ampliação de recursos para cirurgias eletivas e ampliação da estrutura de atendimento, especialmente no Oeste.

Apontou para a necessidade de disponibilizar o serviço de radioterapia no Hospital em São Miguel do Oeste e solicitou, através da Alesc, ao ministro da Educação para viabilizar a implantação do curso de medicina no Campus da UFSC em Curitibanos.

Outros temas, como a situação das rodovias de SC, o desmonte do estado brasileiro pelo governo Bolsonaro também foram relembrados pelo deputado.

Adrianinho também destacou a atuação na defesa da classe trabalhadora durante as votações em plenário. “Defendemos os trabalhadores nas votações: contra a previdência complementar e favorável à carreira da polícia penal, na reposição justa linear para a segurança pública. Manifestamos nosso descontentamento com a proposta da carreira para os profissionais da educação e pela taxação de 14% de contribuição aos professores aposentados, apelando para que o Estado reapresente uma nova proposta”, disse.

A Política Estadual e o Polo de Transição Energética Justa do Sul de SC, proposta pelo governo do Estado, a ampliação de investimentos da Celesc e da Casan, bem com a luta do movimento por moradia, a luta dos trabalhadores da Comcap, a denúncia da discriminação e preconceito na contratação de trabalhadores no comércio e a celebração do Dia do Comerciário foram outros temas defendidos durante os 60 dias.

“Como falei no dia da posse: não foram apenas dois meses. Foram 60 dias, 1440 horas, 86400 minutos, 5.184.000 segundos, respirando e trabalhando incansavelmente, pelo bem comum. Continuamos na missão com muito entusiasmo, representando a todas e todos que acreditaram neste projeto coletivo, onde [email protected] tenham vez e voz, embasado na participação popular, junto aos movimentos sociais, sindicais, pastorais, grupos de jovens, comunidades, associações, partido e lideranças municipais”, disse o deputado.

Adrianinho De Martini enfatizou que papel da Casa e dos deputados é lutar para garantir a dignidade do povo e reforçou o apelo do Papa Francisco: “nenhuma família sem teto, nenhum camponês sem terra, nenhum trabalhador sem direitos, nenhum povo sem soberania, nenhuma pessoa sem dignidade, nenhuma criança sem infância, nenhum jovem sem possibilidades, nenhum idoso sem uma venerável velhice”.

“É por isso e deve ser por isso que vale a pena estar nesse espaço, que não é de poder, mas de serviço ao próximo, ao povo catarinense. Sigamos firmes na luta de transformar a vida de quem mais precisa! Não é uma despedida, nem muito menos um adeus, mas um até breve”, finalizou o deputado.

#Equipe Adrianinho

Comente com o Facebook