Alberton usa apenas uma linha para criar belas imagens


Um ecossistema único que merece atenção pela sua diversidade é a inspiração para os trabalhos que o artista joinvillense A. Alberton apresenta na mostra Mangue, que entra em cartaz na Galeria do Papel. As obras construídas em uma única linha fazem parte da 3ª Temporada de Exposições que o Museu de Arte de Blumenau (MAB) abre quinta-feira, dia 25 de novembro, às 19h. A apresentação das salas ocorre durante a tradicional conversa com os artistas expositores. O público pode visitar a mostra gratuitamente de terça a sexta-feira, das 10h às 16h. As visitas mediadas são agendadas pelo telefone 3381-6176 e a classificação indicativa de idade é livre.

A pulsação que existe na vida do mangue é vista por A. Alberton através de desenhos que buscam mostrar alguns personagens que vivem no manguezal.  Os desenhos executados em uma única linha que se liga no final formando uma figura geométrica, muitas vezes sugerindo linhas imaginárias, vêm evoluindo desde 2002. A cada desenho, uma nova inspiração do artista, mas sempre mantendo a base, o ciclo da vida. Cada trabalho é único, cada vida é única, apesar de estarem todos envolvidos.

Anderson Alberton é bacharel em Artes Visuais (2014). Natural de Joinville (SC), transita principalmente entre as linguagens do vídeo, desenho e pintura. Iniciou a carreira como artista após estar descontente com seu trabalho como mecânico de manutenção industrial. Foi no período da faculdade que iniciou os primeiros trabalhos com a linha contínua e desenvolveu ainda mais o gosto pelos vídeos.

Saiba mais

Abertura da 3ª Temporada de Exposições no MAB – ano 2021

Data: quinta-feira, dia 25 de novembro

19h: Abertura

19h30: Visita mediada às exposições

20h: conversa com artistas convidados

Visitação:

Até 30 de janeiro, de terça a sexta-feira, das 10h às 16h. Visitas mediadas podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176

Classificação indicativa de idade: Livre

Entrada franca

Carreira de A. Alberton

Exposições individuais: Vide Vida, 2015, MAJ, vídeos; Momentos Divergentes, 2014, MAJ, vídeos; Olhar Pulsante, 2013,  MAJ, Mural, sete desenhos com 8×2 metros; Diários Desenhados, 2012, MAJ, desenhos e vídeo; Da Luz à Sombra em uma Pintura, 2004 , MAB, pinturas

Principais coletivas: Território (in)comum, 2015, AAPLAJ; Ontem Hoje, 2015; 44ª, 42ª e 40ª Coletiva de Artista de Joinville, 2015, 2012 e 2010, SIMDEC-MAJ; Arte na Cidade, 2015, SESC; XIII Salão Nacional de Artes de Itajaí, 2013; Mostra de Artes Almirante Tamandaré, 2007, 2º Lugar; 35º Coletiva de Artistas de Joinville, 2005, MAJ; Começo do Fim, 2005, AAPLAJ; 2º Território de Artes de Araraquara, 2004; 1º Salão de Artes de Blumenau, 2002, Destaque Especial

O que mais ver no MAB

Sala Roy Kellermann: o gravador e curador André de Miranda (RJ) traz a 2ª Mostra Internacional Ex-Libris – marca de uma identidade, com 240 Ex-Libris de artistas de 12 países

Galeria Municipal de Arte/Sala Alberto Luz: o Coletivo Periférico, composto pelas artistas Jussara Marangoni, Corina Ishikura, Cris Basile e Anna Gui, de São Paulo, apresenta a mostra Espaço, Superfície, Impermanência

Sala Elke Hering : o grafiteiro Raphael Sagarra (Finok), de São Paulo, estará no espalo com a mostra “Fratura Exposta”

Atenção: Os protocolos de prevenção à propagação do coronavírus – Covid 19 devem ser obedecidos, sendo necessário uso de máscara, álcool gel e distanciamento social.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

postada em 18/11/2021 13:45 – 15 visualizações

Fotos

Comente com o Facebook