É dada a largada para “Mostra África” em unidade educacional da Capital


No mês da Consciência Negra, a “Mostra África”, da Escola do Futuro da Tapera, iniciou nesta quarta-feira (17) e se estende até dia 24. Há contação de histórias, danças, brincadeiras, oficina de abayomi e exposições na unidade educacional ligada à Prefeitura de Florianópolis. Tudo girando em torno do continente africano, de onde vieram para o Brasil, de forma forçada,  quase cinco milhões de negros . Escravizados, foram empregados principalmente nas atividades ligadas aos ciclos econômicos, como o da cana-de-açúcar no Nordeste e a mineração e o café no Sudeste. 
  
O objetivo Mostra  é que os estudantes possam conhecer a cultura africana e compreender a importância e influência desse continente na construção da cultura brasileira.
  
“A cultura africana é vasta e diversificada, porém, muitas vezes desconhecida e pouco divulgada. Com essa iniciativa ,  pretendemos evidenciar a enorme riqueza material e cultural, mas também desfazer preconceitos presentes em nossa sociedade, que vê o continente africano apenas pelos aspectos negativos como fome, miséria, selva, entre outras características.”, explica a professora Eliandra Moraes Pires.
  
A Escola está repleta de atividades feitas pelos alunos, como: cientistas que inspiram, valorização da identidade étnico-cultural afrodescendente e palavras africanas. O desenvolvimento dos trabalhos contou com pesquisas, construção de materiais, ensaios de música e dança e reflexões sobre a consciência de uma sociedade mais justa e humana.
 

Além disso, um mapa do continente africano, com os seus 54 países, foi montado e pintado com ajuda de estudantes e professores, englobando diversos conteúdos como escalas matemáticas, geografia e história.

 
Os países da áfrica formam o continente que possui a maior quantidade de países dentre todos os outros. e seguido  pela  ásia e europa com 50 nações cada um.  
É também o segundo continente mais populoso do planeta , atrás apenas da Ásia, e o terceiro maior em extensão territorial, perdendo novamente para a Ásia e para a América.

18/11- QUINTA-FEIRA


– Visita ao mapa africano: 8h30, 9h30, 13h30, 14h
– Exposições com professores e estudantes dos anos iniciais e finais: das 9h às 11h e das 14 às 16h
– Apresentação de dança : 9h30 e 14h30
– Contação de histórias : 10h30, 11h30, 15h30 e 16h30
 

19/11- SEXTA-FEIRA 

  
– Brincadeiras africanas (Turma do 2º ano e professoras): 10h, 11h, 15h e 16h 
– Oficina de abayomi : 10h30, 11h30, 15h30, 16h30
     
 
 
22/11- SEGUNDA-FEIRA

– Visita ao mapa: 8h30, 9h30, 13h30, 14h
– Brincadeiras africanas (Turma do 2º ano e professoras): 9h, 10h, 14h e 15h 
– Exposições com professores e estudantes dos anos iniciais e finais: das 9 às 11h e das 14 às 16h
– Oficina de abayomi: 10h, 11h, 15h, 16h
– Contação de histórias : 9h30, 10h30, 11h30, 14h30 e 15h30 e 16h30
23/11- TERÇA-FEIRA
   

– Visita ao mapa: 8h30, 9h30, 13h30, 14h
– Cantinho de Angola : 9h30 e 14h30
– Contação de histórias : 9h30, 10h30, 11h30, 14h30 e 15h30 e 16h30


24/11- QUARTA-FEIRA

   
 
– Brincadeiras africanas (Turma do 2º ano e professoras): 9h, 10h, 14h e 15h 
– Exposições com professores e estudantes dos anos iniciais e finais: Das 9 às 11h e das 14 às 16h
– Apresentação de dança e grande ciranda: 9h30 e 14h30

galeria de imagens


Comente com o Facebook