Deputado Fabiano representará o Parlamento catarinense na COP-26


O deputado Fabiano da Luz (PT), coordenador da Frente Parlamentar de Apoio aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, representará o Parlamento catarinense na 26º Conferência do Clima, a COP-26, em Glasgow, na Escócia. O parlamentar vai integrar a comitiva estadual liderada pelo governador Carlos Moisés e participará, de 6 a 11 de novembro, do evento considerado determinante para controlar as mudanças climáticas na terra.

“Recebi com alegria o convite da Alesc para representar o Parlamento catarinense, até por ter sido o criador da Frente Parlamentar de Apoio aos ODS da ONU e o autor da lei que institui a Política de Promoção da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável no Estado. Estou levando da Assembleia um convite para os parlamentos europeu e britânico para virem a Santa Catarina conhecer o nosso estado, a nossa Assembleia Legislativa, e falarmos de futuras parcerias de cooperação.”

O parlamentar acredita que a participação de Santa Catarina neste compromisso, principalmente no que diz respeito às mudanças climáticas, tema principal da COP-26, possibilitará que o estado saia na frente em termos de cooperação. “É uma garantia que Santa Catarina vai continuar com suas relações econômicas e internacionais com todos estes países, que assim como nós, estão preocupados com o meio ambiente.”

Fabiano da Luz foi designado pelo presidente da Alesc, Mauro de Nadal (MDB) para representar o Poder Legislativo na conferência. “É uma oportunidade especial e que exige muita responsabilidade para representar os catarinenses. A COP-26 é uma conferência que faz o mundo todo voltar os olhos para um pacto que busca soluções às grandes mudanças climáticas que afetam o nosso dia a dia, como a estiagem, as ondas de calor, os incêndios na natureza.”

O Movimento ODS de Santa Catarina também contribuiu para a indicação do nome do deputado Fabiano. “Agradeço pela confiança que recebi para essa missão. Vamos ter a chance de mostrar a atuação da frente e das entidades envolvidas. Com esse escopo, queremos evoluir em políticas públicas voltadas para a nova economia verde. Isso transforma o estado, atraindo investimentos de negócios sustentáveis de todo o mundo.”

Na conferência, 200 países vão tratar sobre o Acordo de Paris, que objetiva manter cortes maiores nas emissões de carbono até chegar à neutralidade em 2050.

Comente com o Facebook