Paulinha buscou instituir a Semana de Combate e Prevenção ao Vitiligo


Tim Francisco, 52 anos, jornalista, sentiu o preconceito por carregar na pele os sintomas do vitiligo. Ele recorda que com 16 anos, começou a apresentar o principal sintoma da doença, que é a perda da coloração da pele. “ Sofri muito porque as pessoas achavam que era uma doença contagiosa”, recorda parabenizando a iniciativa da deputada Paulinha que institui a Semana Estadual de Combate e Prevenção ao Vitiligo, através do projeto de lei 255/2021,  aprovado por unanimidade no Parlamento catarinense essa semana.

O projeto institui a Semana Estadual de Combate e Prevenção ao Vitiligo, agendada anualmente na semana que compreende o dia 25 de junho.

Paulinha, sensível às causas da saúde em Santa Catarina, comenta que dados oficiais indicam que o vitiligo alcança 1% da população mundial. 
No Brasil, mais de um milhão de pessoas convivem com a doença, caracterizada pela perda da coloração da pele. 
As lesões formam-se devido à diminuição ou à ausência de melanócitos (células responsáveis pela formação da melanina, pigmento que dá cor à pele) nos locais afetados.

“Assim como Tim, outras pessoas sofrem o preconceito por terem contraído o vitiligo. Trazer luz a essa doença nos motivou a apresentar esse projeto que busca orientar sobre os primeiros sintomas da doença, a importância do tratamento precoce e, logicamente, combater o preconceito contra os portadores do vitiligo”, observa a parlamentar. 

Valquiria Guimarães
Assessoria de Comunicação
Deputada Paulinha
048 991047676

Comente com o Facebook