O Enigma de Zaki é um dos projetos aceitos pela Lei Aldir Blanc em Criciúma


Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News

O livro da escritora Sissa Moroso, o Enigma de Zaki, foi um dos projetos aprovados pela Lei Aldir Blanc, no edital n°002/2020 da Fundação Cultural de Criciúma (FCC). A publicação tem como finalidade ensinar crianças alfabetizadas do Ensino Fundamental I e Ensino Fundamental II sobre a cultura e a história do continente africano, abordando ainda a questão do preconceito, do racismo e conhecendo as belezas naturais e culturais africanas.

Sobre o livro

A história se passa na cidade Tamale, no país de Gana, ao norte do continente africano, onde o personagem Zaki vai passar pela savana, por toda a vegetação e pelo deserto, e acaba se encontrando com alguns animais e se encontrando com a religiosidade. O livro mostrará conceitos que poderão ser ampliados na vida e no cotidiano escolar, conforme sugere as legislações atuais e que devem fazer parte do currículo escolar.

“O enigma faz parte das histórias que meu avô me contava, eu peguei o enigma e transformei para dentro do continente africano todas as imagens que vinham na minha cabeça, para poder contar às crianças” ressaltou Sissa Moroso. “A finalidade deste livro infanto-juvenil é mostrar o universo cultural das tradições africanas, que são tão próximas da nossa ancestralidade e tão desconhecidas para nós brasileiros”, concluiu.

Lei Aldir Blanc

A Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural surgiu com o objetivo de auxiliar artistas e espaços culturais brasileiros no período de isolamento social, por conta da pandemia da Covid-19. Em Criciúma, as inscrições e a mediação para a aprovação dos projetos foram feitas pela FCC e 84 iniciativas dividiram mais de R$ 1,8 milhão.

Comente com o Facebook