Alunos de Chapecó produzem cerâmica em estudo sobre povos originários


Os estudantes do terceiro ano vespertino da Escola Básica Municipal André Antônio Marafon, do Bairro Esplanada, realizaram na sexta-feira a queima de objetos cerâmicos que foram produzidos nas aulas anteriores. O trabalho, que despertou muito envolvimento, foi desenvolvido pelo componente curricular de Arte.

A partir do estudo dos povos primitivos originários (pré-históricos), as crianças conheceram os grupos indígenas e suas manifestações cerâmicas. Nesse contexto, deu-se início à produção cerâmica com o uso de argila vermelha que, depois de seca, passou pelo processo de queima.

Antes da queima dos objetos, os alunos assumiram a missão de serem arqueólogos por um dia e realizaram escavações em sítios arqueológicos (previamente preparados pela professora) e coletaram resquícios de peças cerâmicas, que terão suas estruturas montadas nas próximas aulas.

Enquanto as peças queimaram no forno tradicional construído na área externa da escola, foram contadas as “Histórias ao redor do fogo – seleção de contos indígenas”, que tem como principal elemento, o fogo. Segundo o aluno Saulo Maciel de Oliveira, “as atividades com cerâmicas foram muito interessantes, adorei estudar sobre os tempos antigos e moldar as peças!”.

A professora que elaborou e aplicou o Plano Docente, Diana Chiodelli, ao final da atividade, relatou: “O professor se constitui e se constrói através do olhar do outro. então, olhar para eles nesse processo de autonomia, de pesquisa e desenvolver um trabalho e ver o processo final é gratificante!”. Diante da participação das crianças na atividade, Diana afirma que a escola é vida e se movimenta, que é feita de gente, e quando percebemos o movimento e participação vemos o processo de aprendizagem se concretizar.

Comente com o Facebook