Adrianinho cobra recuperação de rodovias federais e estaduais

Notícias de Santa Catarina - SC HOJE News


O deputado Adrianinho De Martini (PT) cobrou urgência na recuperação das rodovias federais e estaduais. “Nós, que viemos do Oeste e pegamos a estrada, sabemos das dificuldades que o cidadão tem enfrentando para andar e para as empresas escoarem a produção até o litoral e os demais estados, especialmente a BR 282, espinha dorsal do desenvolvimento e da logística da região. Esta rodovia tem sofrido as consequências do descaso do governo federal e a falta de manutenção.”

Adrianinho mostrou um vídeo no Plenário, esta semana, mostrando a situação entre Irani e Ponte Serrada (BR 282). “Este trecho está intransitável. É comum encontrar caminhões de câmara fria com pneus estourados na beira da estrada e carros que avançam na pista contrária para desviar dos buracos.”

Segundo o deputado, os últimos investimentos realizados na região ocorreram no governo Dilma, que foram a duplicação da BR 282 no trajeto de Xanxerê, a duplicação do trecho de Lages e o acessos a Chapecó. “O governo federal arrecada R$ 60 bilhões por ano em Santa Catarina, mas não dá retorno e o Estado está colocando quase R$ 500 milhões nas rodovias federais e deixando de fazer investimentos nas SCs.”

O parlamentar apontou que no Planalto Norte e na região do Meio Oeste catarinense as rodovias estaduais estão precárias, a exemplo da SC 477, que liga Canoinhas, Major Vieira e Papanduva; a SC 155, que liga os municípios de Xanxerê, Seara e Xavantina, e Bom Jesus a Abelardo Luz. A SC 283, que liga Concórdia, Seara e Chapecó e a SC 480, entre Xanxerê a Bom Jesus. “A falta de investimentos causa prejuízos muito grandes e desestimula investimentos importantes nestes municípios, por isso apresentamos diversas indicações na Alesc, tanto ao DNIT quanto ao Deinfra, para que façam as intervenções e melhorias necessárias.”

Juliana Wilke
Assessoria Coletiva | Bancada do PT na Alesc | 48 3221 2824  [email protected]
Twitter: @PTnoparlamento | Facebook: PT no Parlamento

Comente com o Facebook