Cultura de Chapecó se reinventa e retoma aos poucos suas atividades


Apesar das dificuldades vividas no último ano e meio, devido à pandemia de Coronavírus, o setor cultural começa a retomar suas atividades em Chapecó. Com a reforma administrativa recentemente instituída, a Secretaria de Cultura passou a ser Fundação Cultural de Chapecó. O objetivo da mudança é diversificar os investimentos na pasta, proporcionando a captação de recursos junto à iniciativa privada. Neste momento, a mudança encontra-se em seus trâmites legais com a constituição de regimento e instituição de CNPJ.

É competência da Fundação Cultural de Chapecó promover e difundir a arte e cultura no município, além de salvaguardar espaços e acervos de memória. Estão aos cuidados da pasta o Museu de História e Arte de Chapecó, o Museu Selistre de Campos, Museu da Colonização, Memorial Paulo de Siqueira e o Arquivo Público Municipal. Também cabe à Fundação Cultural encabeçar os processos de preservação de bens móveis e imóveis, como o recente tombamento do prédio do Colégio Marechal Bormann, que passou a compor o Centro Histórico de Chapecó.

Atualmente, esses espaços têm passado por reformas e adequações visando a volta do público e a retomada dos atendimentos presenciais. Outro local que tem ganhado melhorias é o CEU das Artes, localizado no Loteamento Elias Gallon, no Bairro Efapi. Já foi iniciada a reforma da calçada externa e melhorias na acessibilidade do espaço, como nova rampa para acesso de cadeirantes.

A Biblioteca Pública Municipal Neiva Maria Andreatta Costella também tem passado por extensas melhorias nesse ano. Através de projeto aprovado no Prêmio Elisabete Anderle 2020 – edital do Governo do Estado de Santa Catarina lançado através da Fundação Catarinense de Cultura – o espaço realizou a instalação de uma parede verde em seu jardim interno, aquisição de novos computadores para uso da comunidade e adquiriu equipamento completo de projeção com notebook, tela e projetor.

Editais retomam investimentos para artistas e produtores

Os editais públicos são o principal meio de financiamento para artistas e produtores realizarem seus produtos culturais. Chapecó possui uma sólida rede de mecanismos que promovem a produção e difusão da arte no município. Atualmente, dois editais encontram-se com inscrições abertas.

Através da Lei Aldir Blanc, principal meio de auxílio a artistas e espaços culturais durante a pandemia, está disponível o saldo remanescente de 2020, que totaliza um valor de R$150.000,00. As inscrições devem ser realizadas, exclusivamente, de modo online. Podem participar Pessoas Físicas e Jurídicas com sede ou domicílio em Chapecó há, no mínimo, um ano.

Através do Fundo Municipal de Cultura esteve disponível o edital Movimenta Chapecó, que dispôs do valor de R$500.000,00 – divididos em prêmios individuais, coletivos de até três pessoas, e coletivos com quatro ou mais integrantes. Podem participar Pessoas Físicas e Jurídicas, sediadas e/ou domiciliadas em Chapecó há um ano, no mínimo. As inscrições foram até o dia 30 de setembro de 2021, agora uma comissão propriamente montada realizará a avaliação dos projetos inscritos.

Os editais em aberto encontram-se sempre disponíveis no site da Fundação Cultural de Chapecó (https://chapeco.sc.gov.br/cultura/), na aba “Editais”.

Formação

Uma das mais importantes dimensões da cultura é a formação. No âmbito municipal, quem cumpre esse papel é a Escola de Artes de Chapecó e o Programa Arte Cidadã. Através de cursos de música, teatro, dança e artes visuais, atendem juntas cerca de 1600 alunos.

Antes da pandemia esse número era de, aproximadamente, 3000 alunos. A expectativa, com a volta da normalidade, é retornar a esse patamar de atendimento. Ambas já retornaram as aulas de forma híbrida, respeitando os protocolos sanitários e garantindo segurança para alunos e professores.

Eventos retornam aos poucos

Algumas das ações mais marcantes da cultura são os eventos promovidos pela pasta. Como exemplo, Dança Chapecó e Festival Nacional de Teatro são iniciativas já regional e nacionalmente reconhecidas, atraindo público de outros lugares e promovendo o intercâmbio dos profissionais locais com outros externos, além de fomentar o turismo e a economia do município.

Também aos poucos, e de forma segura, os eventos retornam ao calendário da Fundação. Nos dias 24 e 25 de agosto, em comemoração aos 104 anos do Município, a pasta realizou o Festival de Música de Chapecó (Femucha) e a Mostra de Cultura Popular, ambos de forma online. Já neste mês de setembro, inicialmente previsto para o dia 18, mas transferido para o dia 25 devido à chuva, o CEU das Artes recebeu o 1º Aberto de Skate Cultura de Chapecó, que contou com mais de 50 competidores de toda a Região Oeste Catarinense, além de Passo Fundo no Rio Grande do Sul.

De forma inédita, Chapecó terá em 2021 um festival de cinema. O 1º Festival de Cinema Nacional de Chapecó é uma parceria da Fundação Cultural com a Associação de Cinema e Vídeo de Chapecó – Cinelo e o Curso de Produção Audiovisual de Chapecó. Essa primeira edição ainda será realizada online, entre os dias 21 a 24 de outubro, mas a expectativa é que o evento tenha continuidade nos próximos anos de forma presencial.

Para marcar definitivamente a retomada dos eventos presenciais, a Fundação Cultural prepara uma programação muito especial para o Natal desse ano. Além da tradicional decoração natalina, em 2021 parte das intervenções artísticas que se apresentarão serão oriundas do Edital Movimenta Chapecó, que encontra-se com as inscrições abertas.

Aos poucos, e de forma segura, a cultura de Chapecó retorna à normalidade, proporcionando à comunidade entretenimento, educação e cidadania através da arte.

Comente com o Facebook