Fabiano diz que SC foi ignorada e não é prioridade para governo federal


O deputado Fabiano da Luz (PT) disse nesta quarta-feira (29), na tribuna da Assembleia Legislativa, que aquilo que se falava do oeste catarinense, que era sempre a última região a ser lembrada e a primeira a ser esquecida, é o mesmo que vem acontecendo com Santa Catarina no cenário nacional. “Fomos deixados de lado, não somos prioridade. O governo federal anunciou 67 novas obras no Brasil, R$ 1 bilhão de investimento e nenhuma obra para SC.”

Ele afirmou que, por isso, a Alesc está encampando muitas frentes de batalha para defender o estado junto ao governo federal e o próprio governo catarinense decidiu tomar a iniciativa e investir. “A Assembleia Legislativa criou uma Frente Parlamentar para cuidar das BRs e o Estado está investindo R$ 465 milhões. Já o investimento federal não vai chegar a 220 milhões”, reclamou.

Segundo o deputado, o governo Bolsonaro só promove motociata em Santa Catarina, porque carro consome mais combustível e que, aliás, teve novo aumento, de 8%. “Aquele tal de Zé Trovão que não é caminhoneiro, não tem caminhão, mas é líder dos caminhoneiros, deve fazer alguma coisa por causa disso, já que no 7 de Setembro organizou uma manifestação contra o ministro do STF, Alexandre de Moraes, para não prender os filhos do presidente. No fim estava ele para ser preso e foi para o México assistir a bagunça de camarote”, ironizou.

Fabiano disse que esteve numa audiência com o DNIT/SC para discutir a situação das rodovias catarinenses – “já que o governo federal vem para Santa Catarina, leva voto de caminhão e na hora de ajudar, nem um grão de areia” -, e ficou feliz porque, depois de três anos, recebeu a notícia de que no mês de novembro as obras da BR 282 vão chegar a Pinhalzinho.

Um trecho bem ruim do perímetro urbano, “difícil de passar” deve ser recuperado, onde “vergonhosamente” instalaram uma lombada eletrônica colocando a velocidade máxima de 80 km/h, quando os carros não conseguem chegar aos 40 km/h. “Mas ainda vai ficar para trás a conclusão do trecho até São Miguel do Oeste, a recuperação do trevo de Irani até Ponte Serrada. Ainda tem muito a se fazer na BR 282.”

O deputado Fabiano comparou que nos governos Lula e Dilma foram investidos R$ 5 bilhões em Santa Catarina através do DNIT. Entre as obras realizadas, citou a duplicação do acesso a Chapecó, a pavimentação do trecho que liga Lages a Campos Novos na BR 282, a ligação entre São Miguel do Oeste a Paraíso, para ligar com a Argentina e a duplicação do trecho de Xanxerê.

“Atualmente, as BRs 470, 280 e 163 estão intransitáveis e os veículos de carga, como os bitrens e caminhões pesados, que atravessam para o Rio Grande do Sul e para o Paraná, e os que vêm do Mato Grosso do Sul, em função de não ter rodovias federais adequadas acabam utilizando as rodovias estaduais danificando-as, causado acidentes graves, mortes e transtorno”, lamentou.

Juliana Wilke
Assessoria Coletiva | Bancada do PT na Alesc | 48 3221 2824  [email protected]
Twitter: @PTnoparlamento | Facebook: PT no Parlamento

Comente com o Facebook