Covid-19: Rio tem queda de 30% no número de óbitos por SRAG

O Mapa de Risco da Covid-19, divulgado hoje (24), indica uma queda de 30% no número de óbitos provocados pela covid-19 e uma redução de 34% nas internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o estado do Rio de Janeiro permanece, pela quarta semana consecutiva, com a classificação geral de baixo risco (bandeira amarela). A região norte fluminense apresentou a maior queda, com redução de 59,4% no número de óbitos.Notícias de Santa Catarina - SC HOJE NewsNotícias de Santa Catarina - SC HOJE News

Segundo o secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, esses números, apesar da circulação da variante Delta no Rio de Janeiro, são um reflexo do avanço na vacinação. “Estamos vendo uma redução do número de internações, casos graves e óbitos. Os indicadores precoces, como atendimentos em UPAs, solicitações de leitos e taxa de ocupação nos apontam um cenário epidemiológico que traz esperança de estarmos caminhando para o retorno à normalidade”, disse Chieppe.

Entre 22 de agosto a 11 de setembro, 1.954.309 doses de vacinas foram aplicadas na população fluminense. As taxas de ocupação de leitos da rede SUS também tiveram redução. A de UTI passou de 59%, no levantamento anterior, para 52%; e a de enfermaria, de 41% para 30%, a maior queda em duas edições do estudo.  

Das nove regiões do estado, sete estão em bandeira amarela: Metropolitanas l e II, Serrana, Norte, Baixada Litorânea, Baía da Ilha Grande e Médio Paraíba. A região Centro-Sul está na faixa laranja e a Noroeste é a única que permanece na bandeira vermelha.

Cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade.

Comente com o Facebook