Alfabetização: Um processo de humanização


A Secretaria Municipal de Educação de Chapecó celebra o Dia Nacional da Alfabetização com muito trabalho e empenho dos professores coordenadores e articuladores.

É fato que o período de afastamento das escolas, devido a pandemia da COVID -19, deixou algumas lacunas na aprendizagem e principalmente na fase de alfabetização e letramento, fase esta a qual a presença do professor é essencial para formação cognitiva na vida das crianças.

Neste momento de retorno 100% presencial às instituições, o envolvimento das famílias e dos professores na construção de uma aprendizagem focada no estudante é fundamental, pois só assim a alfabetização das crianças, que ocorre prioritariamente nos primeiros anos do Ensino Fundamental, pode ser assegurada.

Astrit Tozzo, Secretária Municipal de Educação, explica que “quando observamos uma criança em seu processo de alfabetização, vemos alguém que está passando por algo profundo. Cada letra rabiscada, cada sílaba sonorizada é um indício dessa fantástica transformação. Assim, tudo ganha maior sentido e significado. Alfabetizar é muito mais do que decodificar, ler e escrever, é um processo de humanização”.

A professora Susana de Fátima Frighetto Durel, que atua na turma do 1º ano da Escola Básica Municipal Realeza, relata que é lindo ver o brilho nos olhos dos alunos quando eles conseguem ler uma palavra. “Quando os vejo lendo meu coração se enche de alegria, pois nós estudamos muito para isso, para ver os alunos lendo. Enquanto eu estudava, almejei ir para a sala de aula e ensinar as crianças a ler e essa é minha missão”, disse ela, emocionada.

Comente com o Facebook