Parceria com a iniciativa privada garante melhorias para a Casa da Cultura de Joinville


A Casa da Cultura de Joinville recebeu melhorias na Galeria de Arte Victor Kursancew e nas salas de dança e música, além de incentivo para capacitação de professores. O projeto foi realizado em parceria com a Associação de Amigos da Casa da Cultura, por meio de doações de empresas e pessoas da cidade. A apresentação das melhorias foi na tarde desta quarta-feira (1º/9), Dia do Bailarino.

“A Casa da Cultura mexe com nossos sentimentos e nossos sentidos. Quero agradecer aos parceiros porque não se faz nada sozinho e queremos estimular as pessoas a olharem para nossos lugares, que são nossos, nossas praças, nossas salas de ballet”, afirma o prefeito Adriano Silva.

A bailarina Júlia Cordeiro, aluna da Escola Municipal de Ballet há 12 anos, apresentou uma coreografia do coreógrafo e professor da instituição, Marcos Sage. “Aqui para mim sempre foi um lugar de crescimento. Ainda quero levar o nome da Casa da Cultura para fora do país”, comenta Júlia. Os passos foram no novo piso que amortece os movimentos dos bailarinos.

No ambiente externo, que dá acesso à sala de música, o professor de saxofone Everton Backes e o aluno Anthony Corrêa Macêdo da Escola de Música Villa Lobos apresentaram um duo com música barroca. E no auditório, a aluna Camilli Starosky apresentou um movimento da Sonata em Fá maior do compositor G. P. Telemann.

A revitalização da parede expositiva da Galeria de Arte Victor Kursancew teve projeto técnico e arquitetônico voluntário da arquiteta Paula Delai Riedi. Foi possível triplicar o espaço de exposição do local. A empresa Axia/Vectra doou materiais para a construção da nova parede da galeria, para o piso flutuante da sala de dança e o piso vinílico da sala de música. A empresa Milium também contribuiu com materiais. As duas salas tinham revestimentos antigos.

“Estamos há 25 anos em Joinville e a gente precisa devolver para a cidade tudo o que ela nos deu. Essa provocação para a iniciativa privada é muito importante porque todo mundo vive a cidade. Eu acredito em propósito e, para mim, a arquitetura é a obra de arte mais perene de uma cidade”, explica Paulino Duarte, diretor da Axia/Vectra.

Além das reformas, professores da Casa da Cultura receberam cursos de educação continuada com quatro artistas reconhecidos na Semana Pedagógica que foi realizada em julho.

“É importante que a gente tenha uma cidade interessante, que tenham iniciativas acontecendo, e a Casa da Cultura é esse lugar. Se a gente quer que exista música ou teatro, aqui é o lugar de ensino. Temos 1,2 mil alunos e um potencial muito grande”, conclui a gerente da Casa da Cultura, Semitha Matos Cevallos.

Comente com o Facebook