EBM São Cristóvão cria a Trilha dos Sentidos


A Trilha dos Sentidos instalada na Escola Básica Municipal São Cristóvão, foi elaborada a partir das atividades realizadas em sala de aula com os estudantes e com a colaboração de todos os professores que contribuíram com diversos objetos que remetem a fatos históricos dos 104 anos de Chapecó.

Através do passeio pela trilha dos sentidos, é possível vivenciar as inúmeras atividades realizadas pelos professores e estudantes. Com cartazes em braile e áudio-descrição, é um espaço pensado para receber todos os alunos. Foi pensado também na questão da proteção e segurança, de mãos higienizadas e com olhos vendados, os alunos experimentam diferentes sensações, aguçam o tato, o olfato e a audição, explorando a trilha com materiais simbolizando alguns grupos populacionais e momentos da nossa história.

“Trabalhar com os estudantes, atividades que os façam refletir sobre a importância do respeito às diferenças contribui na formação de uma cultura que valorize e respeite toda a construção histórica de um povo”, disse a Secretária Municipal de Educação, Astrit Savaris Tozzo

A estudante do 3º ano Luiza Vargas Brazzo, oito anos, contou que através da experiência aprendeu que “os balseiros levavam bastante produtos e traziam também e a água que tem na trilha simbolizava a água do rio por onde as balsas eram conduzidas”.

Artur da Silva Maleski, também de oito anos, disse que, quando entrou na trilha com os olhos vendados, achou que a mandioca gigante fosse um tronco de árvore. “Quando coloquei a mão na farinha pensei que fossem penas. Eu não conseguia nem achar o banco que tem os objetos porque estava com os olhos vendados. Foi bem interessante sentir como as pessoas que não enxergam conseguem fazer tudo”.

A experiência vivenciada pelo Nathan Augusto Fachini que estuda no 5º ano, foi um tanto diferente dos demais colegas, pois, ele apresenta surdocegueira e com o auxílio das professoras aproveitou ao máximo a trilha dos sentidos.

A Professora Daiane Christ – do 3º ano, que organizou a atividade, vivenciou há alguns anos esta experiência. “Percebi e senti que valeu a pena em todos os sentidos, só foi possível concretizar porque todos os colegas professores abraçaram a causa, deram muitas sugestões e contribuições com materiais”, concluiu.

Comente com o Facebook