Deputados destacam relevância do cooperativismo na economia catarinense


A Assembleia Legislativa aprovou, durante a sessão ordinária desta quinta-feira (26), moção de aplauso à Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (Ocesc) pela passagem dos 50 anos de fundação. A moção foi proposta pelo deputado Moacir Sopelsa (MDB), que enalteceu a importância social e econômica do cooperativismo. A Ocesc tem 251 cooperativas registradas em diversos setores, as quais representam mais de 3 milhões de associados no estado.

“As cooperativas movimentaram mais de um terço do volume do agronegócio no ano passado”, disse Sopelsa. O deputado espera que, ainda este ano, seja possível a realização de uma solenidade na Assembleia Legislativa para marcar o cinquentenário da entidade que agrega as cooperativas do estado.

O presidente da Casa, deputado Mauro de Nadal (MDB), assentiu que o Parlamento deve realizar essa homenagem à Ocesc assim que as regras sanitárias permitirem.  “O cooperativismo faz história em nosso estado e serve de modelo para outros países, pelo resultado prático na vida do agricultor, mas principalmente na economia catarinense”, disse. Nadal acrescentou que as cooperativas fazem uma gestão transparente dos recursos, o que resulta em arrecadação de impostos e, consequentemente, possibilita o investimento em políticas públicas e obras.

Repúdio a professor
Repercutiu na sessão o caso de um professor da rede municipal de Criciúma que exibiu um vídeo a alunos do 9º ano da disciplina de artes com conteúdo considerado erótico e impróprio por parlamentares. A deputada Ana Paula Campagnolo (PSL) exibiu uma manifestação do prefeito, Clésio Salvaro, anunciando a exoneração do professor. A deputada parabenizou o gestor pela ação “rápida e certeira”.

O deputado Jessé Lopes (PSL) também parabenizou o prefeito pela decisão. Ele qualificou o conteúdo do vídeo como “viadagem”, tal como fez o prefeito em sua manifestação. Na opinião de Jessé, o que é importante ensinar em sala de aula não está sendo ensinado.

O deputado Bruno Souza (Novo) repudiou o que aconteceu em sala de aula em Criciúma. Ele argumentou que o Estado laico surgiu para assegurar a independência entre Estado e religião, mas disse ter a impressão de que algumas pessoas não querem um Estado laico, mas um estado antirreligioso. “Querem impor valores antagônicos ao que prega o cristianismo a crianças de famílias cristãs”, protestou.

Projeto
Ana Campagnolo informou que um projeto de lei de sua autoria, o PL 310/2021, pretende levar para a sala de aula o assunto da violência institucional contra o estudante. O projeto institui no calendário oficial a semana escolar estadual de combate à violência institucional contra crianças e adolescentes. O objetivo é informar sobre os limites éticos da profissão do educador para diminuir episódios como esse ocorrido em Criciúma, segundo a deputada. “Queremos que o espaço escolar seja um espaço de ética, onde as normas estabelecidas sejam respeitadas.”

Corridas de cães
O deputado Marcius Machado (PL) considerou uma derrota gigantesca para a proteção animal a rejeição ao projeto de lei de sua autoria que pretendia proibir a realização de corridas de cães em Santa Catarina. O PL 70/2021 foi rejeitado por 17 votos a 3 na sessão de quarta-feira (25). Marcius Machado não participou da votação “por motivo de força maior”, mas disse que pretende reapresentar o projeto no próximo ano e trabalhar no convencimento dos demais deputados. Ele acrescentou que as corridas de cães já foram proibidas na Argentina, no Uruguai e no Rio Grande do Sul porque são práticas que empregam maus tratos. “Os animais são estimulados com drogas para que possam correr mais rápido.”

Recursos em rodovias
O deputado Silvio Dreveck (PP) comentou a participação do secretário da Fazenda, Paulo Eli, e de sua equipe, na última reunião da Comissão de Finanças para apresentação do relatório quadrimestral. O deputado opinou que a equipe tem feito “um excelente trabalho, tanto na arrecadação quanto no controle dos gastos”, e disse que o governo tem dificuldade para fazer investimento em projetos de infraestrutura por ausência de projetos de engenharia. Dreveck citou várias obras que precisam ser realizadas na região do Planalto Norte e que dependem dos projetos, agora contratados pelo governo do Estado.

Uma das conquistas citadas pelo parlamentar foi a contratação de projeto de engenharia para recuperação da SC-418, de Joinville a São Bento do Sul. “É um projeto de longo prazo porque é uma rodovia sinuosa, com alta declividade, que inclui a Serra Dona Francisca”, explicou. Dreveck concluiu que investir nas rodovias é essencial para diminuir o custo de transporte, melhorar a segurança e diminuir os acidentes.

Comente com o Facebook