Insegurança em Barra Velha e região chega à Alesc, que organiza reação


Um desabafo do prefeito de Barra Velha sobre a insegurança na cidade e região repercutiu na sessão de quarta-feira (25) da Assembleia Legislativa, levando os deputados a marcarem reunião com Comando da PMSC para enfrentar o problema.

“O prefeito de Barra Velha, Douglas da Costa, em desespero, fez um vídeo e pediu apoio para aumentar o efetivo policial”, informou Sargento Lima (PL), acrescentando que o desabafo correu após um cidadão de Barra Velha ser vítima de um assalto violento.

Lima elogiou a atitude do alcaide, criticou a distribuição do efetivo da Polícia Militar e lembrou que para a 3ª Região Militar, em Balneário Camboriú, foram destinados 79 policiais, enquanto para a 5ª Região, em Joinville, não chegaram a 20 policiais.

“Dá impressão que a gente joga no vaso e dá descarga”, discursou Lima, referindo-se ao dinheiro dos impostos pagos pelos moradores do Norte do estado.

Maurício Eskudlark (PL) também exibiu o vídeo do prefeito e informou os colegas que pediu audiência com o Comando da Polícia Militar (PMSC) para tratar do assunto.

“O município tem a sua cota de participação na segurança, mas não pode fazer tudo o que deve ser feito, por isso marcamos uma audiência para terça ou quarta-feira da semana que vem. Convido os colegas deputados da região, vamos debater o assunto para encontrar uma solução”, convidou Eskudlark, que sugeriu a realização de operações na área.

Por outro lado, Eskudlark ponderou que os dados da Secretaria de Segurança Pública mostram que em 2020 houve queda de 20% nos homicídios em Barra Velha, em relação a 2019. No caso dos roubos, a redução foi de 24%.

Nilso Berlanda (PL), vice-presidente da Casa, também sugeriu marcar audiência com a cúpula da Secretaria de Segurança Pública e pediu para convidar os prefeitos de Barra Velha, Balneário Piçarras, Penha e Navegantes para participar.

Dia do soldado
Doutor Vicente Caropreso (PSDB) repercutiu a passagem do dia do soldado, celebrado em 25 de agosto, exibindo no telão da tribuna foto com colegas que serviram com o parlamentar no 23º BI, de Blumenau, em 1983.

“Quero registrar a convivência e a amizade eterna, 1983 foi a primeira grande enchente que assolou Blumenau, uma grande operação de guerra”.

Sargento Lima também destacou a data e avaliou que a vida na caserna “é muito mais que uma tatuagem, é uma marca na nossa alma”.

17ª Regional de Saúde
Caropreso anunciou a criação da 17ª Regional de Saúde, que reunirá os municípios de São João do Itaperiú, Barra Velha, Corupá, Schroeder, Massaranduba, Guaramirim e Jaraguá do Sul.

“O objetivo é ter mais autonomia, mudar o destino de vários tipos de decisões, ter mais vacinas, saber abrir e fechar no caso de pandemias, regiões grandes demais têm muitos conflitos”, reconheceu Caropreso.

BR-280
Caropreso também exibiu no telão do Plenário imagens da inauguração de um viaduto no trecho estadualizado da BR-280, entre os municípios de Jaraguá do Sul e Guaramirim.

“Uma cerimônia simples e significativa, hoje o viaduto foi liberado, toda a comunidade espera que funcione o quanto antes”.

Reposição salarial da PMSC
Jessé Lopes (PSL) voltou a criticar a proposta de reposição salarial para a Polícia Militar e defendeu emenda de sua autoria ao projeto do governo para conceder um reajuste linear ao invés de definir um percentual.

“Não tem vício de origem, o projeto é do governo, fizemos uma emenda que não tira um real do valor disponibilizado pelo governo, não gera custo para o Orçamento. O Coronel está dizendo que fere a isonomia, que é inconstitucional, mas o próprio governo já enviou projeto com diferenças em percentuais, por que nós também não podemos mexer?”, questionou Jessé, referindo-se ao deputado Coronel Mocellin (PSL), atualmente licenciado.

De acordo com a emenda de Jessé, todos os militares receberão R$ 2.138,00 de aumento, enquanto pelo projeto do governo um coronel teria reajuste de mais de R$ 5 mil.

Bruno Souza (Novo) e Sargento Lima elogiaram a emenda de Jessé e prometeram apoio no Plenário.

R$ 33 mi dos respiradores
Ivan Naatz (PL) acusou o governador de mentir quando afirmou em vídeo ter “praticamente” bloqueado 96,6% dos R$ 33 mi do dinheiro pago pelos respiradores chineses.

“O juiz determinou o bloqueio, mas que bloqueio foi feito? Não tem imóvel nenhum bloqueado, é como perseguir o cara que vendeu bilhete premiado, não pega”, ironizou Naatz, que noticiou denúncia do MPSC contra agentes públicos e empresários envolvidos na compra fraudulenta.

Hotel estatal
Bruno Souza denunciou que o estado barriga verde é proprietário de um hotel em Santo Amaro da Imperatriz.

“O estado é como um pato, não caminha, não nada e não voa direito, mas quer fazer tudo e não consegue focar no que é essencial. O hotel era do município até 2017, quando foi passado para o governo do estado”, contou Bruno, acrescentando que a folha do hotel é de R$ 127 mil.

“Privatização, é preciso vender”, indicou Bruno.

“Mais um absurdo, fico pensando nas hospedagens camaradas”, pontuou Jessé.

UFSC e Udesc
Bruno Souza voltou a cobrar da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) o retorno das aulas presenciais.

“O reitor Ubaldo poderia estar agindo com mais vigor se acreditasse no retorno presencial, me parece que está muito cômodo com as aulas remotas, é administrador de um dos maiores orçamentos do estado, maior que o da capital. Já o reitor da universidade estadual deixou livre para os diretores de centro, agora depende de diretores do centro, por que Ubaldo não faz o mesmo?”, questionou.

Centro Universitário Municipal de São José
Padre Pedro Baldissera (PT) pediu à prefeitura de São José que volte atrás e não siga a recomendação do Ministério Público, mantendo o credenciamento do Centro Universitário Municipal de São José.

“O município acatou recomendação do MPSC e solicitou o descredenciamento da instituição, mas isso afeta a população do município, representa a demissão de 58 profissionais e deixa desassistidos cerca de mil alunos, muitos oriundos de escolas públicas”, apelou Padre Pedro.

Salões de beleza no Mais Renda SC
Milton Hobus (PSD) revelou que portaria da Secretaria de Estado da Fazenda (SEF) incluiu os salões de beleza e barbearias no programa Mais Renda SC.

“Fizemos o pedido ao governo e ontem saiu a portaria incluindo esses setores”, divulgou Hobus.

Gás em Três Barras
Valdir Cobalchini (MDB) anunciou que uma rede isolada de gás abastecerá as empresas do município de Três Barras.

“Gás para a indústria, veículos, cozinha, com a construção de uma rede isolada que possa chegar a Três Barras, atendendo três grandes empresas”, garantiu Cobalchini.

Comente com o Facebook