Professoras da rede irão participar do IV Congresso Ibero-Americano de Humanidades, Ciências e Educação


As profissionais de educação da rede municipal de Florianópolis, Ana Paula Felipe e Nataliê Cardoso, farão parte do IV Congresso Ibero-Americano de Humanidades, Ciências e Educação, organizado pela Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC). 

 

 

 

De forma totalmente online, e contando com conferências, mesas-redondas e relatos de experiência, o evento irá ocorrer entre os dias 23 e 27 de agosto.

 

 

 

Ana Paula, gerente da Educação Especial na Secretaria Municipal de Educação, contará em seu relato de experiência sobre o projeto “Roda de Conversa: saúde mental na infância e adolescência”.

 

 

 

Abordando o tema “Os encontros de grêmios estudantis das escolas municipais de Florianópolis: processo de formação continuada e exercício da cidadania”, Nataliê Cardoso irá mostrar que o intuito do projeto é fomentar a criação e efetivação dos grêmios nas unidades educativas, fortalecendo a autonomia e a participação estudantil.

O congresso terá a participação de convidados de países da língua portuguesa e espanhola, entre eles de Portugal, Chile, Argentina e Peru.

O objetivo é oferecer espaços para a construção coletiva de conhecimentos, trabalhos colaborativos e parcerias, de modo a evidenciar a incessante busca pela consolidação de ensino, pesquisa e formação de professores e professoras.

“Promover a inteligência emocional e estimular uma formação continuada de caráter político, cultural e de respeito às diferenças tem extrema importância para a elevação do nível da Educação em Florianópolis”, afirmou Maurício Fernandes Pereira, secretário de Educação.

Cuidados com a saúde mental

Concebido em 2019 pelas secretarias de Educação e Saúde de Florianópolis, o projeto “Roda de Conversa: saúde mental na infância e adolescência” procura prevenir e auxiliar as famílias e estudantes com os cuidados e a conscientização da saúde psicológica.

O secretário de Educação acredita que a proposta valoriza a vida, a qualidade das relações e acima de tudo respeita a criança e o adolescente em uma formação mais humana e integral do ser.

“A partir dos assessoramentos técnicos pedagógicos nas unidades educativas do ensino fundamental da rede pública municipal de Florianópolis, que atende crianças e adolescentes, observou-se a necessidade de trazer esse tema para o nosso cotidiano”, afirmou Ana.

Prevenção ao suicídio, automutilação e sofrimento psíquico foram abordados na lógica da proteção e promoção da qualidade de vida, para além da medicalização.

Para viabilizar a participação de um número maior de famílias, os encontros aconteceram no período noturno, assessoras pedagógicas e dois psiquiatras da SME, a médica Márcia Rodrigues e o médico Marcelo Brandt Fialho, levaram informação a 560 famílias de 24 unidades educativas, envolvendo cerca de 600 pessoas.

Incentivando o poder da cidadania

Os encontros com os grêmios estudantis da rede pública municipal de ensino de Florianópolis são concebidos como processo formativo, constituídos a partir das necessidades e interesses dos adolescentes.

São organizadas a partir de relatos de experiências, oficinas integradas e plenárias, que se configuram como importantes espaços de diálogo, formação, possibilitando a ampliação de repertório cultural e vivencial que qualificam as relações no âmbito escolar, impactando a ação dos estudantes, dos profissionais e da comunidade educativa.

“A expectativa em participar do evento é ampliar e qualificar as discussões sobre os temas em questão. Trazer o diálogo numa perspectiva macro, pois a abrangência do evento integra países latinos e nos permite trocar experiências, trazer elementos, conceitos e aporte teórico que embasem cada vez mais as proposições pedagógicas ofertadas pela SME”, contou Nataliê.


Comente com o Facebook