Morre no Rio, aos 91 anos, ex-presidente da AEB e da Petrobras

morre-no-rio,-aos-91-anos,-ex-presidente-da-aeb-e-da-petrobras

A Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) comunicou, nesta quinta-feira (5), o falecimento de seu ex-presidente Benedicto Moreira. Atual titular do Conselho de Administração da entidade, Moreira morreu ontem (4), de causas naturais, aos 91 anos.Notícias de Santa Catarina - SC HOJE NewsNotícias de Santa Catarina - SC HOJE News

De acordo com a AEB, o comércio exterior brasileiro perde “um dos seus mais importantes ícones, cuja trajetória de vida foi dedicada à defesa de um projeto nacional de comércio exterior desenhado para o desenvolvimento econômico-social e indutor do aumento da produção, da produtividade, da capacitação competitiva e da geração de emprego e renda para o país”.

O atual presidente da associação, Para José Augusto de Castro, disse que a morte de Benedicto Moreira “é uma irreparável perda” e que seu nome “estará assegurado na história de luta para se alcançar um comércio exterior brasileiro sustentável”.

Economista de formação, Moreira foi presidente da Petrobras, secretário do Comércio e secretário-geral da Comissão de Comércio Exterior do Ministério da Indústria e do Comércio, e secretário-geral do Conselho Nacional do Comércio Exterior (Concex), tendo ainda integrado o Conselho Fiscal da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), o Conselho de Política Aduaneira e o Conselho Monetário Nacional. Participou também de conselhos de administração de várias empresas, entre as quais a Perdigão S.A. Comércio e Indústria.

Benedicto Fonseca Moreira presidiu a AEB entre 1998 e 2012, quando assumiu a presidência do Conselho de Administração da entidade. Promoveu debates com representantes de governo e apresentou propostas para remoção de obstáculos ao crescimento do comércio internacional de bens e serviços, lançando a debate um desenho de política de comércio exterior para assegurar condições competitivas e aumentar, diversificar, agregar valor e elevar conteúdo tecnológico à pauta de exportações brasileiras, lembrou José Augusto de Castro.

Restrita à família, a cerimônia de sepultamento foi realizada ontem, no Rio de Janeiro.

Comente com o Facebook