Servidores acompanham votação da reforma em frente à Alesc


Gritando palavras de ordem, os servidores de várias categorias estaduais, principalmente professores, policiais civis, da saúde, protestaram na tarde desta quarta-feira (4) em frente à Assembleia Legislativa contra a aprovação da reforma da previdência. Antes da votação, representantes de entidades chegaram ao confronto, quando um grupo tentou invadir o Palácio Barriga Verde jogando cadeiras e foram impedidos pela tropa de choque da Polícia Militar.

Os servidores da Polícia Civil, que também estavam protestando, se manifestaram contrários à atitude do grupo ligado aos sindicatos dos professores e da saúde. Alguns servidores chegaram a passar mal, mas foram atendidos prontamente por bombeiros e servidores da saúde.

Diversas entidades sindicais se manifestam contra o projeto. Entre elas, o Sintespe (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual), a CUT (Central Única dos Trabalhadores), a Adepol (Associação dos Delegados de SC), o Sinjusc (Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado), a Aprudesc (Associação dos Professores da Udesc), entre outros.

Devido a pandemia da Covid-19, o acesso às galerias e ao hall da Assembleia Legislativa estão restritos e os manifestantes ficaram concentrados em frente ao prédio, que teve a rua Doutor Jorge Luz Fontes fechada ao trânsito de veículos. Durante a votação, os manifestantes aplaudiam os parlamentares contrários ao projeto do Executivo e vaiaram os que votaram favoravelmente à reforma. Fogos de artifício foram disparados em vários momentos.

Por volta das 17h, metade dos manifestantes deixaram o local e os que ficaram retiravam cartazes e bandeiras do protesto, com o avançar das votações. Já às 18h30 o trânsito foi liberado e poucos servidores acompanharam a votação final.

Comente com o Facebook